A dona de casa Rosane Moreira Silveira, 50 anos, que estava desaparecida desde a manhã da última segunda-feira em Porto Alegre foi encontrada em Seropédica, município no interior do Rio de Janeiro, no início da tarde desta quinta-feira.

Um familiar da vítima, que pediu para não ser identificado por motivos de segurança, informou que a mulher estava caminhando sem rumo nas margens da Rodovia Presidente Dutra, quando foi abordada e socorrida por uma agricultora que vive na região. Rosane foi encaminhada para um posto de saúde local. Após receber atendimento médico, ela foi encaminhada à Delegacia de Polícia do município. Ela estaria em estado de choque e muito suja, mas sem apresentar ferimentos físicos.

Policiais da 4ª Cia do 24º BPM, sob comando do Capitão Reis, levaram Rosane até o DPO do Centro de Seropédica, onde ela tomou banho e almoçou com os Policiais Militares. O Capitão fez uma busca na região tentando localizar os sequestradores e o veiculo roubado, mas sem sucesso. O Capitão Reis encaminhou Rosane para 48º DP, onde foi feito registro de ocorrência e logo após voltou para o DPO ficando sobre guarda dos policiais até chegado dos seus familiares.

Ainda segundo o familiar, a vítima disse, por telefone, que teria sido abordada por um homem armado na Avenida Baltazar de Oliveira Garcia, na última segunda-feira. O criminoso a teria obrigado a dirigir até o Rio de Janeiro, ameaçando matar a ela e a sua família caso não obedecesse às ordens. Ao chegarem no Rio de Janeiro, o bandido abandonou Rosane em um matagal em Seropédica.

Um familiar de Rosane, que mora em São Paulo, está a caminho de Seropédica para buscá-la. O marido de Rosane pretende viajar na sexta-feira para buscar a esposa em SP.

A delegada Luciana Smith, da 5ª Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa de Porto Alegre, responsável pela investigação do desaparecimento, afirmou que ainda não possui muitos detalhes do crime, mas pretende colher o depoimento de Rosane e, então, encaminhar o caso à delegacia responsável pelo distrito onde o sequestro teria ocorrido.

O caso

Rosane foi vista pela última vez ao sair de casa em seu veículo, um Ford Ka branco com placas IWE5072, na manhã da última segunda-feira. Ela pretendia comprar material para consertar o chuveiro do apartamento de um dos filhos.

No período em que a vítima não fez contato, foi registrado um saque de sua conta e uma recarga em celular que não pertencia a ela. O telefone da dona de casa está desligado desde então.

01