A vereadora Laura Carneiro (PMDB) deve ter o dom da onipresença: conseguiu assumir uma cadeira na Câmara dos Deputados, em Brasília, sem abrir mão da vaga de vereadora, na Câmara do Rio.

Se por um lado, fisicamente até é possível, já que a moça pediu licença à cúpula do legislativo municipal, por outra, legal e moralmente, é inviável.

Para ficar com a vaga deixada por Sérgio Zveiter (PSD), que hoje comanda a secretaria de Habitação da Prefeitura do Rio, ela deveria, por lei, renunciar (definitivamente) à sua cadeirinha no Palácio Pedro Ernesto.

Dois pesos

Quem quicou, ontem, ao saber da “pedalada” de Laura foi a colega Tânia Bastos (PRB).

Tânia era a segunda suplente do senador Marcelo Crivella (PRB), quando o moço foi nomeado ministro da Pesca.

Louca para passar uma temporada em Brasília, ela consultou a Mesa Diretora da Câmara sobre a possibilidade de conseguir uma licença, caso Eduardo Lopes, o primeiro suplente, deixasse para ela a vaga. Ouviu um sonoro não.

Para Tânia, valeu a lei.

laura carneiro

Fonte: Jornal EXTRA