Decisão obriga apenas veículos usados comercialmente para transporte de passageiros a manter o equipamento

O uso do extintor de incêndio em carros passa a ser optativo no Brasil. A decisão foi tomada pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) nesta quinta-feira, poucos dias antes da obrigatoriedade de circular com o extintor do tipo ABC, anunciada para 1º de outubro.

— Tivemos encontros com representantes dos fabricantes de extintores, corpo de bombeiros e da indústria automobilística, que resultaram na decisão de tornar opcional o uso do extintor — explicou o presidente do Contran e diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Alberto Angerami.

Extintor do tipo ABC é vendido pela metade do preço no inicio do ano

Por enquanto, circular sem o equipamento ou com ele vencido no carro é considerado infração média, com multa de R$ 127,69 e mais cinco pontos na carteira de motorista. O fim da obrigatoriedade do extintor para carros começará a valer a partir da publicação da resolução, o que deverá ocorrer nos próximos dias, segundo o Denatran.

O que a antiga Lei dos Extintores diz sobre o Brasil

A obrigatoriedade — que existe desde 1970 — continua para todos os veículos utilizados comercialmente para transporte de passageiros, caminhões, caminhão-trator, micro-ônibus, ônibus e destinados ao transporte de produtos inflamáveis, líquidos e gasosos.

Um levantamento da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA) mostra que dos 2 milhões de sinistros em veículos cobertos por seguros, 800 tiveram incêndio como causa. Do total, apenas 24 informaram que usaram o extintor, ou seja, apenas 3%.

O Denatran tomou a decisão após constatar, por intermédio de estudos e pesquisas, que as inovações tecnológicas introduzidas nos veículos resultaram em maior segurança contra incêndio. Entre as quais, o corte automático de combustível em caso de colisão.

extintor de incendio