Mais um acidente aconteceu na Estrada Rio São Paulo BR 465, desta vez foi em frente ao Posto de Gasolina Ipiranga no km 32, por volta das 11 horas. A vitima Pierre Augusto Theodoro de 23 anos, foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros de Seropédica e levado para o Hospital Pedro ll em Santa Cruz. O seu estado esta estavel.

Estudos e dados estatísticos apontam aumento do número de vítimas fatais de acidentes com motos no trânsito, mas risco de morte sobre duas rodas é menor para motociclistas profissionais.

São muitos os fatores que podem explicar o rápido crescimento das mortes de motociclistas, mas todos os estudos recentes apontam que as causas principais são procedimentos de risco dos próprios condutores, como andar no chamado corredor das vias, e também o consumo de álcool. Se o risco de morrer em uma colisão de automóvel já é significativo, a depender das circunstâncias do acidente, sobre uma motocicleta essas chances são 20 vezes maiores. Esse número sobe para 60 vezes se a pessoa não estiver usando o capacete, item obrigatório pela ­legislação.

“Acho que não existem acidentes de moto, existem acidentes de trânsito em que as motos estão envolvidas. E as motos se envolvem mais porque vemos mais vítimas. Quando dois carros batem, apenas amassa o ­para-choque, já na moto o para-choque do motociclista é ele mesmo”

Estatísticas de acidentes no Estado do Rio de Janeiro

Dados gerais

População em 2010: 15,9 milhões de habitantes. Frota de veículos: 4,5 milhões em 2010. Superfície: 44.000 km2

Avaliação do número de mortos no trânsito:

ISP (RJ): mortos nas vias federais, estaduais e municipais: 2.404 em 2012, 2.246 em 2013, 2.080 em 2014, 1.782 em 2015.

Ministério da Saúde (DATASUS), óbitos ocorridos no Estado: 3.047 em 2012, 2.680 em 2013, 2.835 em 2014, 1.984 em 2015.

DPRF, mortos nas rodovias federais do Estado: 532 em 2010, 548 em 2011, 574 em 2012.

Estatísticas disponíveis

O Ministério da Saúde fornece estatísticas abrangendo os acidentes ocorridos em todas as vias do estado, através a base de dados DATASUS. Estas incluem os números de mortos em acidentes e a sua repartição por categoria de usuários.

RJ VF Datasus 2003a2015 Fev17

Redução sensível de 2007 a 2009 (-24%), seguida por um forte aumento em 2010 (+23%). Tendência à estabilidade de 2010 a 2014. Redução de 30% em 2015. Esta última evolução parece questionável. Parte da diferência na estatística pode se dever a uma mudança no processamento dos dados. Os dados de 2015 não constam da mesma base que os dados dos anos anteriores.

O Instituto de Segurança Pública (ISP) fornece estatísticas abrangendo os homicídios culposos de trânsito e as lesões corporais culposas de trânsito ocorridos em todas as vias do estado, que correspondem respetivamente aos números de mortos e de feridos. Os dados referentes ao período de 1997 a 2010 foram publicados no dossiê Trânsito . Os dados de 2011 a 2015 foram publicados separadamente.

A superposição das estatísticas Datasus e ISP de mortos no trânsito aparece no gráfico abaixo.

RJ VF 2 fontes 2004a2015 Fev17

As duas curvas são muito próximas no período 2007-2009, porém, divergem a partir de 2010 e voltam a se aproximar em 2015.

Mortos por tipo de usuário

RJ VF por tipo 2004a2014 Fev17

Os pedestres foram a categoria com o maior número de mortos. Apesar de uma redução sensível neste período, ainda tiveram quase 1000 pedestres mortos no estado em 2014.

O número de motociclistas mortos aumentou progressivamente e chegou a ser muito próximo do número de mortos ocupantes de outros veículos (carros, caminhões, ônibus).

Atenção: o número de mortos pelos quais a categoria de veículo não foi informada representa um terço do total.

Índices

RJ Datasus indices 2002a2010 V3

 Redução sensível do índice de mortos em relação à população, de 2007 a 2009, após quatro anos de quase estabilidade.

Total das vítimas (mortos e feridos)

As estatísticas do Instituto de Segurança Pública (ISP) referentes ao total dos homicídios culposos e das lesões corporais culposas de trânsito ocorridos em todas as vias do estado estão representadas no gráfico abaixo:

RJ Graf ISP M&F estado 2004a2015 Fev17

Houve redução em 2005 e 2006, seguida de aumento em 2007 e 2008, estabilização em 2009, possívelmente devida à Lei Seca, novo aumento em 2010 e 2011 e nova estabilização em 2012. Redução de 13% em 2015.

Acidentes no Estado do Rio de Janeiro: estatísticas do Ministério da Saúde

Mortos em acidentes de trânsito, de 2002 a 2015

Vítimas hospitalizadas, de 2008 a 2012

Estatísticas do Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro

Dossiê Trânsito 2011, incluindo dados detalhados sobre o perfil das vítimas e os tipos de acidentes em 2010.

Dossiê Trânsito 2012, incluindo a identificação e a hierarquização dos locais concentradores de acidentes com vítimas em 2011.

Estatísticas publicadas mensalmente

Vítimas de acidentes no Estado do Rio de Janeiro de 2007 a 2015.

Estatística do Instituto de Segurança Publica.

(Atualizado em 19/02/2017)

De 2007 a 2014, o número de vítimas fatais passou de 2.967 a 2.080, o que representa uma redução de 30%.

Neste mesmo período, o número total de vítimas (mortos e feridos) cresceu cada ano de 2007 a 2011, passando de 41.910 a 49.247, o que representa um aumento de 18,5%, se estabilizou em 2012 e 2013 e passou a diminuir em 2014.

Vítimas de acidentes no Município do Rio de Janeiro de 2007 a 2015

Estatística do Instituto de Segurança Publica.

Atualizado em 19/02/2017

O número de vítimas fatais diminuiu em 2008 e 2009, ficou estável de 2010 a 2012 e voltou a diminuir em 2013.

O número total de vítimas (mortos e feridos) cresceu de 2007 a 2012 e passou a diminuir em 2013.

Acidentes nas rodovias federais do estado do Rio de Janeiro

Evolução das estatísticas anuais de 2007 a 2011, novas estatísticas de acidentes nas rodovias federais em 2012, localização dos acidentes e análise de segmentos críticos nas BR 040-RJ, 101-RJ, 116-RJ, 393-RJ.

Faça o seu comentário