Rio Guandu ficou pelo menos 12 horas parado para que uma bomba seja instalada na lagoa de captação, com objetivo de renovar a água da estação. O abastecimento pode levar até 48h para ser normalizado

A Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) religou a Estação de Tratamento do Guandu, por volta das 6h desta quarta-feira. A estação foi desligada na noite de terça-feira, por volta das 19h, com o objetivo de tentar mais uma vez acabar com a geosmina, elemento que tem deixado a água distribuída no Rio com cheiro e gosto de terra desde janeiro de 2020.
 
Relatórios feitos pela companhia mostram que a água captada para a estação de tratamento do Guandu teve níveis recordes de geosmina do ano no fim de janeiro.
Por conta da manobra, os municípios da Região Metropolitana podem sofrer com a falta d’água nesta quarta-feira. Em bairros do Grande Rio, o abastecimento só deve ser normalizado na sexta.
 
A companhia explicou que o Rio Guandu ficou pelo menos 12 horas parado para que uma bomba seja instalada na lagoa de captação. Objetivo é renovar a água da estação e tentar melhorar a situação.
 
Ainda de acordo com a Cedae, a maneira de solucionar o problema definitivamente, é a obra de proteção da tomada de água da Estação Guandu que ainda está em processo de licitação. A intervenção prevê a construção de um dique para impedir que as águas dos rios Ipiranga, Queimados e Poços se misturem às do Rio Guandu antes do ponto de captação de água. A obra, investimento de aproximadamente R$ 132 milhões, tem duração prevista de 24 meses.
 
Fonte: Meia Hora