É muito estranho está inercia do Governo do Estado em não tomar uma atitude mais seria para evitar a contaminação desenfreada do Rio Guandu. 

São Empresas e Prefeituras da Baixada Fluminense que jogam esgoto diretamente nos Rios Ipiranga, Rio dos Poços,  Rio Queimados e Rio Cabuçu, que desemboca no Rio Guandu. Não tem desculpas, existe a Fiscalização do INEA que já deveria estar multando e dando prazos para que as empresas e prefeituras que não tem tratamento de esgoto comecem a fazer as obras.

Os moradores do Rio de janeiro e alguns municípios da Baixada estão bebendo água contaminada com cheiro de geosmina que é uma substância química, um composto orgânico produzido pela bactéria Streptomyces coelicolor, espécie de actinobactéria presente no solo. 

O Ex-Governador Wilson Witzel, no início deste ano, tomado uma atitude sem noção afastou do cargo os Técnicos da CEDAE, por causa da crise de abastecimento e contaminação existente na água fornecida para os cariocas. E no lugar colocou técnicos que não tinha conhecimento do funcionamento da CEDAE, criando uma crise maior ainda.

Atualmente o novo governo voltou com esses técnicos que estavam afastados para resolver o problema de abastecimento na Elevatória do Lameirão, que vai deixar os Municípios do Rio de janeiro e de Nilópolis com redução de 25% de sua água tratada fornecida até próximo ao Natal.

Cada dia mais a CEDAE se esforça para descontaminar a água que é retirada do Rio Guandu. A contaminação continua por culpa das políticas públicas aplicadas pelos governos que aturam no Rio de Janeiro nos últimos 30 anos. 

São empresas que recebem autorização de funcionamento sem ter seu próprio tratamento de esgoto. São Municípios que não investem em meio ambiente, e por tratados políticos entre governadores e prefeitos, não constroem estações de Tratamento de Esgoto. Cada governante lava as mãos e colocam a culpa na CEDAE, e a solução encontrada é privatizar, não acham estranho isso? e nesta história quem vai pagar o pato será a população. 

Na manhã desta quarta-feira (2), pescadores fizeram uma reunião com a presença da Secretaria de meio Ambiente de Nova Iguaçu, Fernanda, onde discutiram uma forma de ajudar a descontaminar o Rio Guandu. A contaminação está matando a vida marinha do Rio Guandu tirando a fonte de renda de cerca de 150 famílias.

Acontece que está reunião deveria ser feito com representantes do Governo do Estado, que são os responsáveis pela fiscalização de meio ambiente do estado, e não uma secretaria de um município em reta final de governo.

Os Governantes do Estado parecem aqueles atores dos filmes animados do Pateta, cada um procurando soluções em uma Lâmpada Maravilhosa do Aladim. 

Após a reunião com a secretaria de ambiente o coordenador Logístico do Pantanal Iguaçuano, Edson Monteiro, retornou ao Rio dos Poços, um dos afluentes do Rio Guandu, e sentiu um cheiro muito forte de material químico, e muita espuma. Via-se um brilho de óleo na água (esgoto), e muito lixo que continua sendo jogado ali. Existe uma denúncia que caminhões que transportam Banheiros Químicos estão jogando os dejetos no rio também. 

Alguma solução tem de ser encontrada rapidamente, porque não vai demorar muito, e a CEDAE não vai mais conseguir tratar a água do Guandu para população.