terça-feira, 1 dezembro 2020
Wilson Bessera apresenta Projeto “Seropédica Cidade Sustentavel” em São Paulo

Wilson Bessera apresenta Projeto “Seropédica Cidade Sustentavel” em São Paulo

Exemplo urbanístico de Seropédica foi assunto no simpósio de mobilidade Urbana apresentado por Wilson Beserra hoje na Cidade de São José dos Campos em São Paulo com o Projeto “Seropédica Cidade Sustentável”

1

20141024_seminario

Seminário de Mobilidade Urbana discutiu modelos de cidades em São José dos Campos

Idealizador do projeto Seropédica, Cidade Sustentável, o Ex-secretário de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável da cidade fluminense, Wilson Beserra, dividiu suas experiências em soluções de urbanismo durante o Seminário Internacional de Mobilidade Urbana que acontece nesta quarta (29) e quinta-feira (30) em São José dos Campos.

Com 80 mil pessoas, Seropédica é um dos bons exemplos brasileiros de planejamento urbano. O programa, cuja implementação foi liderada por Beserra, leva em conta as características de cada região da cidade para realizar soluções de mobilidade urbana, diminuir deslocamentos e criar bolsões com infraestrutura para o crescimento industrial na cidade.

A criação do programa, que é apresentado em todo o país como modelo de crescimento sustentável, foi realizada de maneira participativa, respeitando a identidade e a vocação dos bairros. De acordo com o palestrante, o desafio é preparar a cidade para um crescimento estimado em 200% nos próximos dez anos.

“Com os futuros investimentos no pré-sal, aliados à nossa localização privilegiada, temos uma procura muito grande de empresas que querem investir em Seropédica. Só nos últimos dois anos, 17 novos empreendimentos se instalaram aqui. Esse panorama nos coloca frente ao desafio de nos preparar para um crescimento ordenado e sustentável”, afirma Wilson Beserra .

O novo zoneamento de Seropédica está em vigor há três meses e já oferece benefícios para os moradores. Os resultados são evidentes, principalmente na mobilidade urbana da cidade, cujo projeto estabelece soluções que estimulam o uso do transporte público em relação aos veículos particulares. “Já percebemos uma queda significativa no fluxo de automóveis nas vias mais movimentadas da cidade”, diz.

Durante sua palestra, o especialista em planejamento urbano mostrou também como funcionou o processo participativo que culminou na aprovação do projeto. A população foi consultada por meio de audiências públicas. Assim como acontece em São José dos Campos, na discussão da nova Lei de Zoneamento o projeto só foi elaborado após realização de consultas públicas.

Também do mesmo modo que vem acontecendo em São José dos Campos, a administração precisou lidar com assuntos “espinhosos” como a verticalização e a transformação de áreas que antes eram estritamente residenciais para áreas mistas, que permitem a construção de pequenos comércios.

“Cada cidade tem características diferentes e Seropédica é pouco adensada, com muitos vazios urbanos e poucos prédios. Sem a verticalização, diminuímos a densidade urbana, acaba ficando muito caro levar estrutura para todos os lugares da cidade e arrecada-se menos. Nas principais avenidas é importante ter comércio, mas também tomamos o cuidado de não misturar grandes empreendimentos, como shoppings ou grandes comércios, aos bairros com identidade estritamente residencial”, completa.