Startup Emrod desenvolve o primeiro serviço de eletricidade sem fio de longo alcance do mundo

0
61

Depois que o inventor e gênio Nikola Tesla provou que a eletricidade sem fio era possível em 1901, a startup Emrod finalmente tornou a tecnologia realidade. Nikola Tesla não é objeto de estudos sociais ou aulas de ciências nas escolas, apesar dele ser considerado um dos cientistas mais influentes de todos os tempos. Tesla foi rival de Thomas Edison, e é fonte de inspiração do empresário Elon Musk, fundador da marca de carros elétricos Tesla.

Suas invenções foram motivadas pelo altruísmo e proporcionar um benefício a toda a humanidade, não apenas àqueles que podiam pagar. Uma das maneiras pelas quais Tesla imaginou ajudar o mundo seria fornecer eletricidade a um custo extremamente baixo, ou mesmo de graça. Mas, com o alto custo dos fios, essa era uma tarefa inútil. Então, Tesla pensou fora da caixa, tirando os fios totalmente de cena. Agora, sua visão está finalmente se concretizando.

Eletricidade sem fio? Ideia de Nikola Tesla

Em 1901, Tesla começou seu trabalho em uma grande estação de transmissão de energia sem fio de alta voltagem chamada Torre Wardenclyffe, que era um protótipo de transmissor sem fio para um “Sistema Mundial sem Fio” que deveria transmitir informações e energia para todo o mundo. Há mais de um século, Tesla chegou a demonstrar que sua tecnologia funcionava para os investidores, mas eles desistiram e a instalação nunca foi concluída. Seus concorrentes disseram ao mundo que suas invenções nunca funcionariam. Mas eles estavam errados.

Avance para 2020 e a startup da Nova Zelândia Emrod, criada pelo empreendedor visionário Greg Kushnir, desenvolveu o primeiro sistema para transmissão de eletricidade de longo alcance sem fio e de alta potência do mundo. Ele poderia se tornar uma alternativa aos ultrapassados cabos elétricos tradicionais e, no futuro, a chave para alimentar carros elétricos sem grandes baterias.

A tecnologia Emrod funciona utilizando ondas eletromagnéticas para transmitir energia sem fio de forma segura, sustentável e eficiente por grandes distâncias. O protótipo de trabalho feito pela Emrod em Aukckland conseguiu transmitir apenas alguns Watts em algumas dezenas de metros, mas de acordo com a empresa pode ser atualizado para transportar kW de eletricidade sem fio em uma distância muito longa .

Ondas eletromagnéticas e antenas

A tecnologia do Emrod usa uma antena transmissora, uma série de repetidores e uma antena receptora capaz de converter a energia de microondas em eletricidade. Cada um desses componentes aparece como um painel quadrado montado em um poste. Quanto maior a superfície do painel, maior a potência de transmissão e a distância que ele pode cobrir.

Os feixes de ondas eletromagnéticas usam a banda ISM (Industrial, Científica e Médica) não ionizante, incluindo frequências comumente usadas em Wi-Fi, Bluetooth e RfID. Poderemos nos livrar definitivamente dos medonhos postes com seus emaranhados de fios que poluem visualmente nossas cidades?

Projeção gráfica dos postes de eletricidade sem fio da Emrod

Eletricidade sem fio custa menos

A transmissão ponto a ponto significa que a energia é transmitida diretamente entre dois pontos. Não há radiação ao redor do feixe, como ocorre na transmissão por fio de alta tensão. A cortina de segurança de laser de baixa potência garante que o feixe de transmissão desligue imediatamente antes que qualquer objeto (como um pássaro ou helicóptero) possa alcançar o feixe principal, garantindo que ele nunca toque em nada, exceto no ar limpo.

A condição necessária para a transmissão de ondas eletromagnéticas é que os repetidores “vejam uns aos outros”. Seria essencialmente calibrado para cobrir os territórios com uma rede de antenas, um pouco como a rede de telefonia celular. E, como acontece com as telecomunicações, a transmissão de eletricidade sem fio ainda seria mais barata do que os cabos de cobre tradicionais.

Ao reduzir significativamente os custos de infraestrutura, a tecnologia da Emrod tem a capacidade de apoiar comunidades remotas, fornecendo acesso a energia barata e sustentável para abastecer escolas, hospitais e economias. “As estatísticas são muito convincentes. Estamos falando de um aumento potencial de 50% na captação de energia sustentável, redução de até 85% nas interrupções e redução de até 65% nos custos de infraestrutura de eletricidade devido à solução Emrod”, disse Kushnir.

A tecnologia de transmissão de microondas da Emrod poderia substituir algumas redes de postes de energia caras e feias.

A tecnologia Emron recebeu uma indicação ao Royal Society Award e a segunda maior empresa de distribuição de eletricidade da Nova Zelândia, a Powerco , será a primeira a testá-la financiando um projeto de grande escala. O visionário Greg Kushnir estava determinado a encontrar uma tecnologia que possa reduzir os custos de distribuição de energia, evitar interrupções e apoiar as energias renováveis.

“Temos uma abundância de energia hidrelétrica, solar e eólica limpa disponível em todo o mundo, mas existem desafios caros que vêm com a distribuição dessa energia usando métodos tradicionais”, disse Kushnir. ” Eu queria encontrar uma solução para mover toda aquela energia limpa de onde é abundante para onde é necessária”.

A Emrod entregará o próximo protótipo à Powerco em Outubro e levará de dois a três meses para executar testes de laboratório e treinar o pessoal da Powerco antes de prosseguir para um teste de campo.

“O sistema que estamos construindo atualmente para a Powerco transmitirá apenas alguns quilowatts , mas podemos usar exatamente a mesma tecnologia para transmitir 100 vezes mais potência em distâncias muito maiores. Os sistemas sem fio que usam a tecnologia Emrod podem transmitir qualquer quantidade de corrente de energia que as soluções com fio transmitem ”,  disse Kushnir.

O sonho de um carro sem bateria

A aplicação mais plausível diz respeito ao fornecimento de energia a áreas remotas do planeta, de outra forma inacessíveis. Estações de carregamento para carros elétricos é atualmente caro. Mas com a tecnologia da Emrod, essas estações de carregamento poderiam ser alimentadas sem a necessidade de realizar trabalhos caros de conexão e escavação. Se a startup tiver sucesso na transmissão barata de energia sem fio de alta potência a longa distância, será uma revolução MUITO maior do que o tão falado 5G. Poderá se tornar uma das empresas mais valiosas do mundo!

Fonte: Stylo Urbano