As chapas para a disputa das eleições deste ano estão definidas. No Rio de Janeiro, o eleitor terá que escolher entre oito opções que passam por diversos espectros políticos. O DIÁRIO DO RIO listou, por ordem alfabética, os nomes dos candidatos e vices para que os fluminenses possa escolher bem quem vai governar nosso estado nos próximos anos.

Cláudio Castro (PL)

Foto: Rafael Campos/Governo do Estado

O atual governador e candidato à reeleição foi vice de Wilson Witzel (PSC), sendo eleito em 2018. Cláudio Castro tem 42 anos de idade, nasceu em Santos (SP) e, ainda criança, veio morar no Rio de Janeiro. Em 2016, foi eleito vereador pelo PSC. Formado em Direito, Castro foi chefe de gabinete do deputado estadual Márcio Pacheco (PSC) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Vice: Washington Reis foi prefeito de Duque de Caxias por dois períodos: entre 2005 e 2009 e entre 2017 e 2022. A carreira política dele iniciou-se em 1992, ao vencer as eleições para vereador de Duque de Caxias pelo PSB. Em 1994, tornou-se deputado estadual pelo PSC, se reelegeu em 1998 e pela terceira vez em 2002. Nas eleições de 2004, Reis tornou-se prefeito de Duque de Caxias, pelo PMDB, cargo em que permaneceu até 2008, quando perdeu a reeleição para o ex-prefeito do município, José Camilo Zito.

Cyro Garcia (PSTU)

Foto: Reprodução

Cyro Garcia é ex-bancário, historiador, professor e político. Formou-se em Direito pela Faculdade Nacional de Direito da UFRJ e obteve mestrado e doutorado em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Tem 67 anos de idade e iniciou sua militância na década de 1970, no movimento sindical bancário, tendo sido fundador da CUT e do PT, e rompendo com essas entidades junto com a sua corrente, a Convergência Socialista, para construir o Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) e a Central Sindical e Popular Conlutas.

ViceSamantha Guedes. Ela é agente de educação infantil do município do Rio de Janeiro, coordenadora geral do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação e membro da executiva da Central Sindical e Popular Conlutas. Além disso, é da coordenação nacional do Movimento Mulheres em Luta. Junto com Cyro, Samantha foi ambos candidata ao Senado pelo PSTU, em 2018.

Eduardo Serra (PCB)

Foto: Divulgação/PCB do Rio de Janeiro

Eduardo Serra é professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde se formou em engenharia. O candidato tem especialização em planejamento econômico na Polônia e fez mestrado em engenharia da produção e doutorado em engenharia oceânica, também na UFRJ. Aos 66 anos de idade, ele é dirigente do PCB e membro da Comissão Política Nacional do Comitê Central do partido.

ViceBianca Novaes é dirigente estadual do PCB, professora universitária e sindicalista.

Juliete Pantoja (UP)

Foto: Monique Zuma e Ayo Nzinga/Unidade Popular RJ

Aos 32 anos de idade, nascida em Saracuruna, Juliete Pantoja é coordenadora do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB) e é vice-presidente estadual da Unidade Popular. Sua atuação, há mais de dez anos, é na organização de atos, ocupações urbanas e expondo as reivindicações de quem luta pelo direito à moradia. Ela entrou na política aos 15 anos, quando começou a atuar na Associação dos Estudantes do Rio de Janeiro.

Vice: Juliana Alves. Juliana é estudante de arquitetura da Universidade Federal Fluminense (UFF) e moradora do Morro do Vital Brazil, em Niterói. Em 2020, ela foi candidata a vereadora de Niterói pela UP. Juliana Alves também atua no MLB e já foi da Associação dos Estudantes Secundaristas do Estado do Rio (AERJ) e Coordenadora Geral do DCE da UFF.

Luiz Eugênio Honorato (PCO)

Foto: Arquivo pessoal

Metalúrgico aposentado da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), Luiz Eugênio Honorato tem 61 anos e é de Volta Redonda, no Sul Fluminense.

Vice: Professor Joaquim.

Marcelo Freixo (PSB)

Marcelo Freixo – Foto: Divulgação

Freixo é nascido em São Gonçalo. Ele se formou professor de história na Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói, na cidade onde morou dos 4 aos 40 anos. Pelo PSOL, Freixo ocupou uma cadeira no parlamento fluminense entre 2008 e 2017. Nesse período, o político tentou por duas vezes ser prefeito do Rio de Janeiro, nas eleições de 2012 e de 2016. Com 54 anos de idade, Marcelo Freixo tenta pela primeira vez ser governador do estado do Rio.

Vice: Economista de formação, Cesar Maia foi prefeito do Rio de Janeiro, sendo o que permaneceu mais tempo no cargo (12 anos). Cesar foi cotado para ser candidato a presidente da República pelo Democratas (DEM) em 2006 e 2010. Em 2006, renunciou a pré-candidatura. Em 2010, foi escolhido pela coligação PV, PSDB, PPS e DEM como candidato ao Senado Federal. Em 2012 e 2016, elegeu-se vereador do Rio de Janeiro pelo DEM. Em 2014 voltou a se candidatar ao Senado, mas não foi eleito. Em 2016, foi o terceiro vereador mais votado do Rio de Janeiro.

Paulo Ganime (Novo)

Paulo Ganime – Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Aos 38 anos de idade, Paulo Gustavo Ganime Alves Teixeira é deputado federal pelo Partido Novo e líder da legenda na Câmara dos Deputados, em Brasília. Formado em engenharia de produção pelo Cefet-RJ, Ganime estudou Economia na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e fez um MBA na PUC-Rio.

ViceHelio Secco é graduado em Biologia pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF) e doutor em Ciências Ambientais pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UFRJ). Ele também é graduado em Gestão Pública pelo SENAC, além de possuir formação complementar em Gestão de Projetos Ambientais pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Rodrigo Neves (PDT)

Foto: Divulgação

Formado em sociologia, Rodrigo Neves está há mais de 20 anos na vida pública. Foi vereador, deputado estadual, secretário estadual e, por duas vezes, prefeito de Niterói. Aos 45 anos de idade tenta ser governador do estado do Rio. No fim de 2017, Rodrigo deixou o PV e se filiou ao Partido Democrático Trabalhista (PDT) para assumir a coordenadoria da campanha de Ciro Gomes à Presidência da República no ano seguinte.

Vice: Felipe Santa Cruz. Ao longo da carreira como advogado trabalhista, logo após sua formatura, Felipe recebeu o convite para ser sócio da Machado Silva Consultoria Jurídica (1998-2013). Em 2014, passou a titular do escritório Felipe Santa Cruz Advogados. Aos quarenta anos de idade, tomou posse pela primeira vez como presidente da seção fluminense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RJ),triênio 2013-2015. Sua gestão é marcada por uma série de vitórias em defesa das prerrogativas da advocacia e dos interesses corporativos da categoria.

Fonte: Diário do Rio