Doação da PRF teve que ser devolvida ao frigorífico; parte do material já havia sido repassado para entidades beneficentes

A Justiça determinou que a Prefeitura de Aparecida devolvesse para o frigorífico Friella as 17 toneladas de carne suína, que foram doadas pela PRF (Polícia Rodoviária Federal). Essa carne estava em um caminhão, apreendido pela polícia, no último dia 13 de julho, no trecho de Lavrinhas da rodovia Presidente Dutra, com três toneladas de maconha escondidas no meio da carga.

O frigorífico entrou na justiça contra a Polícia Rodoviária Federal para reaver a carne que estava no caminhão. A PRF havia doado as 17  toneladas para programas de assistência às famílias em situação de vulnerabilidade alimentar em Aparecida.

O prefeito Luiz Carlos de Siqueira, o Piriquito (PODE), informou que assim que foi notificada, a Prefeitura pediu uma audiência para tentar reverter a decisão, mas não foi possível. “Quando a gente estava se preparando para a doação, saiu a decisão judicial para a devolução da carne. Quando a Prefeitura foi citada, eu devolvi 250 caixas. Pedi, então uma audiência com o juiz de Cruzeiro, para tentar manter na cidade as 336 caixas restantes, mas não foi aceito”.

Piriquito chegou a doar carne para algumas entidades da cidade, como a Santa Casa, Vila Vicentina e a Cooperativa de Taxistas. “O juiz de Cruzeiro foi muito solicito em ouvir o meu pedido, mas disse que houve irregularidade nos autos de apreensão e não seria possível doar o alimento para a Prefeitura. Aquele montante que já foi doado, não precisaria ser devolvido”.

Segundo o prefeito, o Município já enviou para o frigorífico o restante da carga. A superintendência da Polícia Rodoviária Federal, de acordo com Piriquito, decidiu doar 12 toneladas de alimentos para Aparecida como compensação pela perda da carga de carne suína. “As cestas já estão no município e serão entregues através do Fundo Social de Solidariedade para as famílias mais vulneráveis”.

Apreensão – A Polícia Rodoviária Federal apreendeu, no dia 13 de julho, um caminhão com cerca de três toneladas, na rodovia Presidente Dutra, em Lavrinhas.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, durante a abordagem, o motorista demonstrou nervosismo e deu informações contraditórias. Os policiais pediram que ele abrisse a porta traseira do baú, mas ele alegou que estava bloqueada. Após horas de negociação sem sucesso, foi acionada a concessionária da rodovia para auxiliar na abertura.

O condutor afirmou se tratar de uma carga de carne suína e que teriam sidos embarcados três paletes de carga desconhecida e que ganhou R$3 mil para levar até o Rio de Janeiro.

Após a abertura da câmara frigorífica, os policiais sentiram cheiro característico de maconha e fizeram busca minuciosa na carga. No meio do baú, embaixo da carne de porco, foi encontrada a droga.

O condutor foi preso e encaminhado à Delegacia de Polícia Federal de Cruzeiro.

Fonte: Jornal Atos