Os cuidados para a prevenção da dengue têm que ser contínuos. Além das ações diárias da Secretária de Saúde, por meio do trabalho de suas equipes de prevenção e combate a endemias, a população também pode contribuir para que não ocorra a proliferação de criadouros do mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypt, na cidade.

A coordenação de endemias alerta a população para que receba as equipes das unidades de saúde em suas casas, já que com o aumento da incidência de chuvas, típicas dessa época do ano, facilita a proliferação do mosquito nos criadouros, que se formam por conta do acumulo de água. “A melhor forma de prevenção da dengue é por meio da remoção e inviabilização dos criadouros. Devemos remover e cobrir tudo o que possa acumular água. Em épocas de chuva, as pessoas têm que fazer a manutenção das calhas, muitos não sabem que elas podem ser foco de proliferação do mosquito”, explica André Luiz Figueira, coordenador de prevenção e combate a endemias.

As equipes que fazem o trabalho de prevenção nas ruas são formadas por agentes endemias, que, além das visitas de casa em casa, vão a pontos estratégicos e imóveis especiais para a remoção de criadouros, como explica André Luiz Figueira. “Os pontos estratégicos são locais que pela atividade exercida podem ser foco da proliferação do mosquito, como ferros-velhos, floriculturas e borracheiros”, declara.

A cidade

Para que esse número seja menor no próximo ano, a população deve certificar-se rotineiramente de que as caixas d´água estão adequadamente vedadas, fechar bem os sacos plásticos utilizados para acondicionar lixo e manter a lixeira tampada.

Em relação ao ultimo LIRA (levantamento de índice rápido) de Seropédica que foi realizado entre os dias 13 e 19 de outubro, a cidade obteve os seguintes resultados: Santa Sofia 1.7%, Fazenda Caxias 0.0%, Boa Esperança 0.0%, Jardim Central 0.0%, Vila Vera Cruz 0.0%, Parque Jacimar 0.0%, Jardim das Acácias 0.0%, Campo Lindo 0.5 %. “Estes resultados nos dá uma média geral que é o cruzamento de todos os extratos um índice de infestação total do município de 0.3%. Ou seja, colocando Seropédica em situação de Baixo Risco, sem esquecer que o tolerado pelo Ministério da Saúde é de 1.00%”, destacou Andre Luiz Figueira. “Porém isso não que dizer que está tudo bem, porque estamos em uma época de muita chuva fazendo com que mais depósitos se tornem criadouros, por isso a grande importância de se ter na rotina um dia pra eliminar os depósitos das nossas residências. Estamos em alerta e prontos para o trabalho que tem que ser uma luta diária com cada um fazendo sua parte”, concluiu.

É importante, também, retirar a água parada das lajes, não deixar a água acumulada nos pratinhos de vasos de planta, remover dos quintais materiais que permitam o acúmulo de água, como pneus, latas, garrafas, jogar no local adequado entulho, entre outras orientações já divulgadas pela Secretaria de Saúde e Ministério da Saúde.

Faça o seu comentário