A uma semana das eleições municipais, ainda concorrem, por força de liminar, 13.856 candidatos a prefeito, vice-prefeito e a vereador que tiveram seus registros cancelados ou negados pela Justiça. É o que informa o jornal O Globo na edição de domingo (25). “País vai às urnas com milhares de candidaturas indeferidas”, diz a manchete do jornal. Eles poderão ser votados, mas não poderão exercer os mandados a menos que tenham resultado favorável no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que, até agora, recebeu apenas 91 recursos.

O Estado de S. Paulo também trata das eleições na manchete. O jornal conta que, em São Paulo, as principais promessas dos candidatos, se cumpridas, exigiriam dez vezes mais do que a Lei Orçamentária do município prevê para 2017. Os candidatos em suas campanha não falam da crise. “‘Vale-tudo’ eleitoral soma R$ 29,6 bilhões de promessas em SP”.

Na série “A Reconstrução do Brasil”, a reportagem deste domingo (25) no Estadão é a necessidade da reforma política. Com uma impressionante foto na primeira página, o Estadão mostra área de desmatamento ilegal recente na represa Billings para um loteamento clandestino. Ao todo, 32 novas invasões desmataram áreas de manancial na cidade.

Em sua manchete, a Folha de S.Paulo trata do acidente de avião que ocorreu há dez anos quando um jato Legacy bateu em um voo da Gol matando todos a bordo, 154 pessoas. A tragédia expôs problemas no controle de tráfego aéreo e, de lá para cá, houve melhoras, mas ainda há reclamações. Os responsáveis – pilotos americanos do Lagacy e três controladores – foram condenados, mas ainda não cumpriram a pena. “Controle aéreo melhora, mas falhas se mantêm”.

A Folha faz também uma reportagem na Colombia com os “desplazados”: pessoas que tiveram que mudar de região no país por causa do conflito com as Farcs. Outra reportagem em destaque da Folha é na Coreia do Norte, para onde mandou enviado especial. O país fará seu quinto teste nuclear porque acredita que, assim, se aproxima em poder das grandes potências.

Ainda sobre eleição, o Globo traz duas chamadas na primeira mostrando a dificuldade do PT em São Bernardo e a divisão da esquerda no Rio. A Folha fez uma entrevista com o ex-presidente Fernando Henrique. Ele diz que Henrique Meirelles não será o FHC de Temer, porque sua pauta de ajuste fiscal no Ministério da Fazenda não traz apoio eleitoral, como foi o Plano Real.

tre

Fonte: Globo.com

Faça o seu comentário