Milhões de pessoas de todas as nações do mundo participaram da Missa de encerramento da Jornada Mundial da Juventude que aconteceu em Copacabana no Rio de Janeiro neste último dia 28/07.

Quando o Papa Francisco chegou a Copacabana foi aberta uma bandeira imensa com a imagem do Papa, muitas pessoas choravam de emoção e pediam para ser abençoados, tinha peregrinos de vários países do mundo cantando e dançando ao som das melodias que eram tocadas em um sistema de som que era escutado por toda orla de Copacabana,

O sistema de atendimento voluntario de Saúde atendia as pessoas que passavam mal e eram transportados em dezenas de ambulâncias que foram colocadas para atender a imensa massa de peregrinos que pernoitaram na Praia de Copacabana.

A missa iniciou com um coro de vozes cantando músicas católicas em várias línguas, que demonstrava que a fé não tem barreiras, e o Papa fala aos fiéis: “Que o mesmo sacrifício realizado há dois mil anos torna-se presente novamente, de um modo novo, um modo sacramental, ritual, incruento, ou seja, sem derramamento do Sangue, mas verdadeiro e eficaz nesta missa”. A homilia dá as boas-vindas aos peregrinos, comenta a importância da renovação da fé neste que é chamado de Ano da Fé e convoca os jovens ao trabalho missionário. No final o Papa Francisco agradece ao povo brasileiro pela hospitalidade e anuncia que o próximo encontro da JMJ será na Cracóvia Polônia.

Muitos jovens protestavam porque os banheiros químicos estavam completamente sujos e que os bares e restaurantes de Copacabana não deixavam os peregrinos usarem suas instalações, “Isso é uma vergonha para nosso país, receber peregrinos do mundo todo e não ter lugar adequado para fazermos nossas necessidades”, comenta o paulista Jeferson Andrade de Moura.