Renovação do contrato de gestão da Rodovia Dutra ligando RJ a SP deixa de fora todo o trecho da baixada fluminense de 47 quilômetros. Também ficou de fora um pequeno trecho do acesso ao Rio de Janeiro da BR -101 Sul. Especialista em infraestrutura e logística, com mais de 50 anos de experiência comenta.

Agência Nacional de Transportes Terrestres anunciou, na semana passada, o leilão de trechos da BR-116 entre Rio e São Paulo conhecida Via Presidente Dutra e da BR-101 entre Itaguaí e Ubatuba conhecida com Rio-Santos. O anúncio da renovação do contrato da Rodovia Dutra ligando o Rio de Janeiro a São Paulo, incluiu a adição de trechos da “Rio Santos”. O especialista em infraestrutura e logística, Paulo César Rocha, afirma que trechos importantes da rodovia ficaram de fora da nova concessão.

Paulo César Rocha explica que a nova concessão trouxe avanços, como a nova subida da Serra das Araras e a possibilidade de cobrança proporcional pelos veículos originados de cidades margeadas pela Rodovia. Contudo, alerta que não ficou claro o que acontecerá com o trecho suprimido e o inicial da BR-101 Sul. Um fator que ele considera preocupante.

“É preocupante, porque estão previstas as novas concessões nos acessos ao Rio de Janeiro, como: Arco Metropolitano do Rio de Janeiro com extensão até Manilha, alternativa para caminhões à Ponte Rio-Niterói e que está em péssimas condições de tráfego entre Santa Guilhermina e Manilha, assim como o Arco está praticamente abandonada”, explica o especialista em infraestrutura e logística.

Rocha também destaca que também não estão previstas novas concessões nos acessos da: “BR-040 com a ligação entre Rio e Juiz de Fora, principalmente da nova subida da Serra de Petrópolis que está com suas obras paralisadas; e da BR-101 Norte entre Niterói e Vitória, cujo trecho inicial passa por área densamente urbanizada e que está com obras de alargamento paralisadas e é acesso ao futuro Polo de Itaboraí e à Região dos Lagos”.

Para o especialista a ANTT deveria esclarecer urgentemente o planejamento para estas áreas. “A ANTT deve urgentemente esclarecer qual o planejamento para estes acessos de Rodovias Federais ao Rio de Janeiro, pois notícias anteriores davam conta da supressão do trecho da Baixada Fluminense na Dutra e da BR-101 Sul, o que realmente aconteceu, mas também falavam sobre a supressão dos acessos ao Rio de Janeiro nas BR-040 e BR-101 Norte”, pondera.

*Paulo César Rocha é especialista em infraestrutura, logística e comércio exterior com mais de 50 anos de experiência em infraestrutura, transportes, logística, inovação, políticas públicas de habitação, saneamento e comércio exterior brasileiro. Mestre em Economía y Finanzas Internacionales y Comércio Exterior e pós-graduado em Comércio Internacional pela Universidade de Barcelona. É mestre em Engenharia de Transportes (Planejamento Estratégico, Engenharia e Logística) pela COPPE-UFRJ. Pós-graduado em Engenharia de Transportes pela UFRJ e graduado em Engenharia Industrial Mecânica pela Universidade Federal Fluminense. Tem diversos livros editados nas Edições Aduaneiras.