Procissão e missa abrem a programação da Semana Santa na Paroquia Maria Mãe da Igreja em Seropédica

Cerca de 400 pessoas participaram da celebração de Ramos, na Igreja Matriz Dom Bosco, Paroquia Maria Mãe da Igreja, no Bairro Campo Lindo em Seropédica. Antes do inicio da Santa Missa os fieis se concentraram na quadra, para iniciarem a procissão em direção a Igreja Matriz. “A procissão dos Ramos recorda a entrada de Jesus em Jerusalém. Essa entrada foi o começo da Paixão de Cristo, porque foi quando ele foi à Jerusalém, sabendo que ali ele seria rejeitado, condenado e crucificado” disse o Padre Jefferson Silva de Oliveira.

A Semana Santa é grande Semana, na qual celebramos, de modo solene, a vida, a morte e ressurreição do Senhor. Com Jesus, queremos seguir seus passos a caminho do Calvário. Celebrar uma boa Semana Santa é viver uma semana intensa de oração, reflexão e celebração com a Igreja de Deus. É experimentar o Amor de Jesus derramado na cruz. Esta não pode ser mais uma Semana Santa qualquer, deve ser uma totalmente nova, ao renovar a minha adesão a Jesus Cristo.

Estes ramos que abençoamos recordam que queremos seguir Jesus. Estamos Alegres, pela sua presença em nossa vida. Ele é o nosso Salvador. O povo de Jerusalém reconheceu em Jesus a Salvação, por isso gritaram: Hosana ao Filho de Davi! Hosana nas altura! Bendito o que vem nome do Senhor!. Alegremos nos também filhos, Jesus veio ao mundo para nos libertar. Apesar das dores do mundo e da Igreja, há uma esperança. A nossa vida, a nossa igreja, pode mudar com Jesus Cristo. Não desanime na sua vida, não desista de viver. Ele veio a este mundo por nós. Tomar os ramos é aceitar Jesus, como Senhor de nossas vidas.

Hoje é celebração da Paixão. Jesus morreu na Cruz por amor a nós. Ele assumiu o sofrimento para aliviar os nossos sofrimentos. Ele que tanto amou, fez milagres, pregou a palavra, anunciou o Pai, foi rejeitado por nós na cruz. Ele veio fazer o Bem e matamos um inocente. A cruz irmãos é sinal do amor de Deus, mas também da rejeição a este amor. Filho, nós continuamos a rejeitar Jesus quando praticamos a injustiça. Aqueles homens do tempo de Jesus foram: violentos, mentirosos, invejosos e incrédulos. Quando agimos assim com o irmão, crucificamos e ofendemos a nosso Senhor. O pecado do mundo é não amar é não crer em Jesus. Faltava amor naquele povo. O amor desceu e não souberam amar o Amor. ´

A cruz de Jesus nos ensina que devemos amor até o fim, mesmo que o mundo não acredite. Se amássemos uns aos outros, como Jesus ensinou, não haveria violência no mundo, não jogaríamos as crianças no lixo ou do alto de um prédio. Se houvesse mais amor teríamos tolerância com o diferente e não condenaríamos as pessoas pelo seu pecado. Se amássemos mais nossas famílias seriam mais unidas, haveria partilha, carinho e diálogo. Se amássemos mais, pais não deixariam seus filhos. E filhos não se esqueceriam de seus pais idosos, na velhice. Se houvesse mais amor, não teríamos medo de andar pelas ruas à noite. Só amor, o amor que vem de Deus, pode mudar a nós e o mundo. Se houvesse mais amor, mais gente daria a sua vida para igreja, como padre, freira e nos diferentes trabalhos da igreja. Se amássemos mais, teríamos mais vontade de estar perto de Jesus, na igreja, na oração. Amor, amor. Precisamos amar.

Filhos, creiamos nele tenhamos fé. O mundo é incrédulo. As pessoas não querem se comprometer com Cristo. Admiram, mas lavam as mãos. Somos nós quando recebemos e reconhecemos a graças e não queremos viver a nossa fé. Católico que não vai a igreja e não participa da sua paróquia e não vive a sua fé é como Herodes. Joga fora a salvação que Deus dá.

Logo após a homilia o Padre Jefferson fez o Envio da Acólita Regina para ser a mais nova Ministra da eucaristia. DSC_0002 DSC_0003 DSC_0004 DSC_0005 DSC_0006 DSC_0007 DSC_0008 DSC_0009 DSC_0010 DSC_0011 DSC_0012 DSC_0013 DSC_0014 DSC_0015 DSC_0016 DSC_0017 DSC_0018 DSC_0019 DSC_0020 DSC_0021 DSC_0022 DSC_0023 DSC_0024 DSC_0025 DSC_0026 DSC_0027 DSC_0028 DSC_0029 DSC_0030 DSC_0031 DSC_0032 DSC_0033 DSC_0034 DSC_0035 DSC_0036 DSC_0037 DSC_0038 DSC_0039 DSC_0040 DSC_0041 DSC_0042 DSC_0043 DSC_0044 DSC_0045 DSC_0046 DSC_0047 DSC_0048 DSC_0049 DSC_0050 DSC_0051 DSC_0052 DSC_0053 DSC_0054 DSC_0055 DSC_0056 DSC_0057 DSC_0058 DSC_0059 DSC_0060 DSC_0061 DSC_0062 DSC_0063 DSC_0064 DSC_0065 DSC_0066 DSC_0067 DSC_0068 DSC_0069 DSC_0070 DSC_0071 DSC_0072 DSC_0073 DSC_0074 DSC_0075 DSC_0076 DSC_0077 DSC_0078 DSC_0079 DSC_0080 DSC_0081 DSC_0082 DSC_0083 DSC_0084 DSC_0085 DSC_0086 DSC_0087 DSC_0088 DSC_0089 DSC_0090 DSC_0091 DSC_0092 DSC_0093 DSC_0094 DSC_0095 DSC_0096 DSC_0097 DSC_0098 DSC_0099 DSC_0100 DSC_0101 DSC_0102 DSC_0103 DSC_0104 DSC_0105 DSC_0106 DSC_0107 DSC_0108 DSC_0109 DSC_0110 DSC_0111 DSC_0112 DSC_0113 DSC_0114 DSC_0115 DSC_0116 DSC_0117 DSC_0118 DSC_0119 DSC_0120 DSC_0121 DSC_0122 DSC_0123 DSC_0124 DSC_0125 DSC_0126 DSC_0127 DSC_0128 DSC_0129 DSC_0130 DSC_0131 DSC_0132 DSC_0133 DSC_0134 DSC_0135 DSC_0136 DSC_0137 DSC_0138 DSC_0139 DSC_0140 DSC_0141 DSC_0142 DSC_0143 DSC_0144 DSC_0145 DSC_0149 DSC_0152 DSC_0153 DSC_0154 DSC_0155 DSC_0156 DSC_0157 DSC_0158 DSC_0159 DSC_0160 DSC_0161 DSC_0162 DSC_0163 DSC_0164 DSC_0165 DSC_0166 DSC_0167 DSC_0168 DSC_0169 DSC_0170 DSC_0171 DSC_0172 DSC_0173 DSC_0174 DSC_0175 DSC_0177 DSC_0178 DSC_0179 DSC_0180 DSC_0181 DSC_0182