A Paroquia de Santa Teresinha do município de Seropédica, sempre inova para homenagear a Santa Padroeira. Desta vez a festa teve inicio com apresentação da Companhia de Teatro da Secretaria de Educação Cultura e Esporte de Seropédica, onde fezeram uma linda homenagem a Santa Teresinha. A Subsecretária de Cultura, Nádia Alvarez preparou esta apresentação como uma forma de Homenagear a Padroeira do município de Seropédica.

Logo após apresentação teatral o Pároco Fabio de Melo deu inicio a Santa Missa, em sua homilia o Padre falou sobre a vida de Santa Teresinha: ” Hoje, dia 1º de outubro, é dia de Santa Teresinha do Menino Jesus, também conhecida como Santa Teresa de Lisieux, padroeira das missões. Desde a infância ela apresentava um grande desejo de santidade; trilhou o caminho da simplicidade e ensina aos pequenos e fracos a viver para agradar o coração de Jesus nas pequenas coisas, dando-lhe pequenas provas de amor”

“Santa Teresinha ingressou no Carmelo aos 15 anos e morreu aos 24. Sua vida é um grito de santidade, de urgência de conversão na vida e nos valores da juventude, porque muitos já estão nos seus 24/25 anos (ou mais) e ainda não encontraram o sentido da vida, que é Deus. Esta santa ensina que enquanto estivermos nesta terra, não devemos ter outra alegria a não ser agradar o coração de Jesus.

Sim! Esta é a nossa alegria: amar a Jesus, amar os homens porque Jesus lhes ama, viver para o outro e não para nós mesmos, porque assim fez Jesus. Descobrimos que há mais alegria em dar do que em receber; que a felicidade do homem está em se doar, em viver para dar provas de amor a Deus através dos irmãos.

Toda esta vida de santidade, mergulhada na graça e na virtude, contrasta com o que o mundo oferece para o jovem, e de certa forma existe no coração dos jovens a seguinte pergunta: “É possível ser santo no mundo de hoje?”. O Papa João Paulo II responde: “Jovem, não tenha medo de ser santo!”. Ele diz isso porque como homem conhece as nossas fragilidades e sabe que o nosso orgulho muitas vezes nos leva a contar mais com as nossas forças, do que com a graça de Deus.

A santidade não é mérito do homem, é graça de Deus. É Ele quem nos torna santos. Santa Teresinha trilhou o caminho da humildade, e esta é a melhor virtude para combater o orgulho. Somos fracos, somos pecadores, não temos méritos, mas podemos ser santos, porque o “santo nada mais é do que um pecador perdoado”, que vive para anunciar a misericórdia de Deus em sua vida.

Assim, Deus nos chama à santidade e nos dá toda graça necessária para que seja possível vivê-la. Existe um pequeno episódio da infância de Teresinha, relatado pela própria santa: ela brincava com a sua irmã mais próxima, Celina; Leônia (sua irmã mais velha), julgando-se muito crescida para brincar com boneca, veio procurá-las com uma cesta cheia de vestidos e lindos retalhos para fazer outros. Leônia ofereceu-lhes o que trazia e disse-lhes: “Escolhei, dou-vos tudo isto”. Celina estendeu a mão e tomou um pacotinho de alamares que lhe agradava. Após um instante de reflexão, Teresinha estendeu a mão e declarou: ‘Escolho tudo’, e apoderou-se da cesta sem qualquer formalidade. E a própria santa descreve: “Mais tarde, quando se me tornou evidente o que era perfeição, compreendi que para se tornar santa era preciso sofrer muito, ir sempre atrás do mais perfeito e esquecer-se a si mesmo. Compreendi que na perfeição havia muitos graus e que cada alma era livre no responder às solicitações do Senhor, no fazer muito ou pouco por Ele, numa palavra, no escolher entre os sacrifícios que exige. Então, como nos dias de minha primeira infância, exclamei: ‘Meu Deus, escolho tudo’. Não quero ser santa pela metade. Não me faz medo sofrer por vós, a única coisa que me dá receio é a de ficar com minha vontade. Tomai-a vós, pois ‘escolho tudo’ o que vós quiserdes!”.

Logo após a homilia o padre Fabio de Melo benzeu as Rosas dos presentes: “As rosas na imagem de Santa Teresinha simbolizam uma promessa que ela fez antes de morrer. Aos 24 anos de idade, em 30 de setembro de 1897, Santa Teresinha disse às irmãs: “Farei cair uma chuva de rosas sobre o mundo!” As rosas simbolizam a intercessão de santa Terezinha por todos aqueles que a pedem em oração.

Ao final da missa o Padre Fabio de Melo homenageou os Ministros da Eucaristia com uma rosa, já exerciam a  esta função a muitos anos e muitos já muito idosos. Uma das homenageadas  tinha mais de 30 anos como ministra.

Logo após a Santa Missa foi servido uma suculenta feijoada e um Bingo.

dsc_0023 dsc_0021 dsc_0018 dsc_0016