SUBSECRETARIA DE CULTURA DE SEROPÉDICA SURPREENDE MAIS UMA VEZ !!!!!

0
90

SMECE APRESENTA MARAVILHOSO ESPETÁCULO DE FIM DE ANO

MUSICAL “ROMIAU E BORBOLIETA – UMA HISTÓRIA DE AMOR E VINGANÇA NO REINO DA SEDA”

Com o objetivo de fomentar e difundir a produção artística e cultural no município de Seropédica a Secretaria Municipal de Educação Cultura e Esporte consolidou seu compromisso com os artistas do Município, representados pelo Centro Cultural de Seropédica- CCS, realizando no dia 30 de novembro, no anfiteatro Gustavo Dutra – UFRRJ, às 20h, o Musical Romiau e Borbolieta – uma história de Amor e Vingança no Reino da Seda”. O espetáculo produzido pela Sub Secretaria de Cultura, foi oferecido em sessão gratuita ao público.

Como parte das programações alusivas as comemorações do fim do ano de 2015 de Seropédica, o espetáculo veio como um presente para a cidade que é essencialmente cultural.

“O Musical Romiau e Borbolieta é uma apresentação cênico-musical, que faz um mergulho vertiginoso na misteriosa senda do Amor e faz uma reflexão sobre o amor impossível. Uma fábula com animais em um fictício Reino da Seda, legitimando assim a cultura de nosso município. O musical trabalha com canções populares, MPB, Caminhos da Floresta e uma música autoral feita especialmente para o espetáculo, além de paródias e traduções baseado em musicais consagrados que são cantadas ao vivo. ” Relata Nádia Alvares Miranda Subsecretaria de Cultura.

O Município de Seropédica se destaca por sua Diversidade Cultural e por ser reconhecido como um celeiro de artistas. Desta forma investir em Cultura não só valoriza o trabalho dos artistas locais, mas também tudo que agrega valor a todos os segmentos educacionais. A educação só é plena quando se une à cultura e ao esporte, em uma gestão integrada. Desta forma é papel da Secretaria Municipal de Educação Cultura e Esporte facilitar para a população o acesso às fontes de cultura e estimular a produção e difusão cultural e artística no município de Seropédica, apoiando criadores e suas obras.

A Secretária de Educação Cultura e Esporte do município Lucia Baroni Martinazzo, agradece a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro por sempre abrir suas portas Município e a todos os envolvidos no Musical e relata, “Seropédica floresce hoje um ciclo crescente para um novo patamar de desenvolvimento. A democratização cultural está presente de forma marcante em nossa gestão. O panorama atual dos equipamentos culturais em nossa cidade é bastante amplo, inauguramos o CCS/EMA (Centro Cultural Seropédica/ Espaço Municipal de Artes) que disponibiliza 46 oficinas culturais, além de oferecer à população a apreciação de espetáculos no decorrer de todo o ano.” e conclui, “ A cultura- somatório de costumes, tradições e valores – é um jeito próprio de ser, estar e sentir o mundo, jeito esse que leva cada indivíduo a fazer e ou a expressar-se a sua maneira, sendo assim um forte agente de identificação pessoal e social. Queremos que todos os munícipes independente de localização espacial, faixa etária, condição de classe, história familiar e bagagem cultural tenha acesso a Cultura.”

Sobre o Musical

O espetáculo escrito pelos oficineiros do Centro Cultural de Seropédica Carolina Ferreira, Taty de França, Ademilson De Oliveira Cezario e Wellton da Silva conta a história do  Reino da Seda que é um lugar pacífico onde moram animais simples e cotidianos como tatus, maritacas, calangos e mariposas…. Neste reino uma romântica e sonhadora Borboleta carrega o fardo de ser a futura rainha. Como toda mãe zelosa, Dona Tartaruga, guardiã da Borboleta, idealiza um futuro perfeito, dentro das boas regras da moral e da normalidade. Infelizmente para ela, quis o destino que o coração da Borboleta fosse se apaixonar por um charmoso Gato! Antinatural, não?! Situado nas sombras da floresta, está o covil da Urubu, uma perversa e rancorosa bruxa que sempre almejou o trono do reino e sua vingança! Quando ela vê neste romance proibido a sua grande chance, não mede esforços para executar seu plano maligno.

Transitando por estes dois universos encontramos Passarinhos Cantores que adoram um “disse me disse” e um ser fantástico, o Pandango Serê, conselheiro abraxas do Reino da Seda.

Por: Ana Paula Jacintho

DSC_0309DSC_0021 DSC_0022 DSC_0023 DSC_0024 DSC_0025 DSC_0026 DSC_0027 DSC_0028 DSC_0029 DSC_0030 DSC_0031 DSC_0033 DSC_0034 DSC_0035 DSC_0036 DSC_0037 DSC_0038 DSC_0039 DSC_0040 DSC_0041 DSC_0042 DSC_0043 DSC_0044 DSC_0045 DSC_0046 DSC_0047 DSC_0048 DSC_0049 DSC_0050 DSC_0051 DSC_0052 DSC_0053 DSC_0054 DSC_0055 DSC_0056 DSC_0057 DSC_0058 DSC_0059 DSC_0060 DSC_0061 DSC_0062 DSC_0063 DSC_0064 DSC_0065 DSC_0066 DSC_0067 DSC_0068 DSC_0069 DSC_0070 DSC_0071 DSC_0072 DSC_0073 DSC_0074 DSC_0075 DSC_0076 DSC_0077 DSC_0078 DSC_0079 DSC_0080 DSC_0081 DSC_0082 DSC_0083 DSC_0084 DSC_0085 DSC_0086 DSC_0087 DSC_0089 DSC_0090 DSC_0091 DSC_0092 DSC_0093 DSC_0094 DSC_0095 DSC_0096 DSC_0097 DSC_0098 DSC_0099 DSC_0100 DSC_0101 DSC_0102 DSC_0103 DSC_0104 DSC_0105 DSC_0106 DSC_0107 DSC_0108 DSC_0109 DSC_0110 DSC_0111 DSC_0112 DSC_0113 DSC_0114 DSC_0115 DSC_0116 DSC_0117 DSC_0118 DSC_0119 DSC_0120 DSC_0121 DSC_0122 DSC_0123 DSC_0124 DSC_0125 DSC_0126 DSC_0127 DSC_0128 DSC_0129 DSC_0130 DSC_0131 DSC_0132 DSC_0133 DSC_0134 DSC_0135 DSC_0136 DSC_0137 DSC_0138 DSC_0139 DSC_0140 DSC_0141 DSC_0142 DSC_0143 DSC_0144 DSC_0145 DSC_0146 DSC_0147 DSC_0148 DSC_0149 DSC_0150 DSC_0151 DSC_0152 DSC_0153 DSC_0154 DSC_0155 DSC_0156 DSC_0157 DSC_0158 DSC_0159 DSC_0160 DSC_0161 DSC_0162 DSC_0163 DSC_0164 DSC_0165 DSC_0166 DSC_0167 DSC_0168 DSC_0169 DSC_0170 DSC_0171 DSC_0172 DSC_0173 DSC_0174 DSC_0176 DSC_0177 DSC_0178 DSC_0179 DSC_0180 DSC_0181 DSC_0182 DSC_0183 DSC_0184 DSC_0185 DSC_0186 DSC_0187 DSC_0188 DSC_0189 DSC_0190 DSC_0191 DSC_0192 DSC_0193 DSC_0194 DSC_0195 DSC_0196 DSC_0197 DSC_0198 DSC_0199 DSC_0200 DSC_0201 DSC_0202 DSC_0203 DSC_0204 DSC_0205 DSC_0206 DSC_0207 DSC_0208 DSC_0209 DSC_0210 DSC_0211 DSC_0212 DSC_0213 DSC_0214 DSC_0215 DSC_0216 DSC_0217 DSC_0218 DSC_0219 DSC_0220 DSC_0221 DSC_0222 DSC_0223 DSC_0224 DSC_0225 DSC_0226 DSC_0227 DSC_0228 DSC_0229 DSC_0230 DSC_0231 DSC_0232 DSC_0235 DSC_0236 DSC_0237 DSC_0238 DSC_0239 DSC_0240 DSC_0241 DSC_0242 DSC_0243 DSC_0244 DSC_0245 DSC_0246 DSC_0247 DSC_0248 DSC_0249 DSC_0250 DSC_0251 DSC_0252 DSC_0253 DSC_0254 DSC_0255 DSC_0256 DSC_0257 DSC_0258 DSC_0259 DSC_0260 DSC_0261 DSC_0262 DSC_0263 DSC_0264 DSC_0265 DSC_0266 DSC_0267 DSC_0268 DSC_0269 DSC_0270 DSC_0271 DSC_0273 DSC_0274 DSC_0275 DSC_0276 DSC_0277 DSC_0278 DSC_0279 DSC_0280 DSC_0281 DSC_0282 DSC_0283 DSC_0284 DSC_0285 DSC_0286 DSC_0287 DSC_0288 DSC_0289 DSC_0290 DSC_0291 DSC_0292 DSC_0293 DSC_0294 DSC_0295 DSC_0296 DSC_0297 DSC_0299 DSC_0300 DSC_0301 DSC_0302 DSC_0303 DSC_0304 DSC_0305 DSC_0306 DSC_0307 DSC_0308 DSC_0309 DSC_0310 DSC_0311 DSC_0312 DSC_0313 DSC_0314 DSC_0315 DSC_0001 DSC_0002 DSC_0003 DSC_0004 DSC_0005 DSC_0006 DSC_0007 DSC_0008 DSC_0009 DSC_0010 DSC_0011 DSC_0012 DSC_0013 DSC_0014 DSC_0015 DSC_0016 DSC_0017 DSC_0018 DSC_0019 DSC_0020

Texto: Ana Paula Jacintho