Tricolor faz 1 a 0 no Nilton Santos e se mantém no G-6 do Brasileirão

Em um clássico em que apenas um time quis jogar enquanto o outro se preocupou em defender, venceu quem buscou a vitória. E foi o Fluminense, que dominou a partida praticamente os 90 minutos, foi recompensado com um belo gol do zagueiro Manoel, já perto do fim, para fazer 1 a 0 sobre o Botafogo. Com o resultado, o Tricolor ampliou para oito jogos a invencibilidade sobre o rival jogando no Nilton Santos e ainda se manteve no G-6 do Brasileirão.
 
Antes mesmo de a bola rolar, o clássico teve uma cena lamentável, com torcedores do Botafogo apedrejando o ônibus do Fluminense na chegada ao Nilton Santos. Nenhum jogador foi atingido e o Tricolor lamentou e repudiou a violência em um comunicado: “É inaceitável que fatos como esse continuem ocorrendo”.
 
Em campo, o que se viu foram duas propostas completamente opostas. O Fluminense, que se despediu de Luiz Henrique, a caminho do Betis, fez questão de ter a posse de bola – terminou o primeiro tempo com 76% e com incríveis 390 passes completos contra 57. Já o Botafogo, cheio de desfalques, defendeu-se e tentou sair em velocidade no contra-ataque.
 
A tática alvinegra funcionou um pouco melhor na primeira parte do clássico. Tanto que o Botafogo criou as três primeiras chances, todas em velocidade. Matheus Nascimento, que foi titular na última hora no lugar de Erison, arrancou e chutou para fora, na melhor delas. Vinicius chutou outras duas, sem muito perigo.
 
Já o Fluminense conseguiu transformar o domínio em campo somente após os 25 minutos, quando acelerou. Cano finalizou duas vezes enquanto Arias foi quem chegou mais perto do gol, mas a bola desviou em Cuesta e passou rente à trave. 
 
Na volta para o segundo tempo, o Botafogo tentou ficar mais com a bola, mas teve muita dificuldade, muito em função da distância grande entre os seus jogadores. Do outro lado, o Fluminense, muito melhor, seguiu com o domínio sem objetividade. O clássico então ficou morno e mais faltoso.
 
Somente a partir dos 32 os dois times levaram algum perigo. Primeiro em um chute de Samuel Xavier defendido por Gatito, e, na sequência, o Botafogo finalmente criou algo, mas Erison, sozinho, cabeceou mal. Se os atacantes faziam pouco, coube ao zagueiro Manoel abrir o placar, num lindo gol, com direito a tirar dois marcadores e cortar outro, aos 36.
Somente então o Botafogo resolveu atacar com mais ímpeto. Vinícius teve sua chance, mas Manoel salvou e desviou, e Carli cabeceou para fora. Já era tarde demais e venceu quem quis mais.
 
Fonte: O DIA