Após receber alta da UTI do hospital Albert Einstein, candidato do PSL fez críticas ao PT e ao voto impresso

O candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL) fez uma transmissão ao vivo pelo Facebook na tarde deste domingo, diretamente da Unidade de Cuidados Semintensivos do Hospital Albert Einstein. Bolsonaro estava com a voz fraca e emocionou-se em vários momentos, além de ter interrompido sua fala para tossir, ao falar que o os ministros do Tribunal Superior Eleitoral “não entendem de informática, com todo o respeito”. O candidato tentou aprovar a suspensão da implementação do voto impresso nas eleições de 2018, alegando que podem haver fraudes.

“A imprensa me malha, diz que eu nunca aprovei nada. Para aprovar o voto impresso, fui em cada deputado. Perguntei se acreditavam em voto eletrônico e todos disseram: ‘Se eu não acreditasse, não estaria aqui'”, disse, afirmando ter tido ajuda do deputado federal Espiridião Amin (PP), de quem disse sentir saudades.

Bolsonaro também dirigiu críticas ao PT, afirmando que se Fernando Haddad ganhar a eleição, “acontece o indulto de Lula”. Em outro momento, disse que “tão ou mais grave que a corrupção é a questão ideológica. Quando vi a eleição de Dilma em 2014, pensei: ‘Não podemos mais esperar 2018, porque o Lula vai ser candidato. E eles não vão mais sair daí”.

Mais cedo, o candidato do PSL à Presidência da República recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva, após sofrer um atentado a faca durante ato de campanha em Juiz de Fora, no último dia 06. Bolsonaro caminhou com ajuda de um andador e registrou o momento em vídeo.

Fonte: O DIA