Todos os anos, desde o final da 2°Guerra Mundial, crianças da cidade de Montese, na Itália, cantam, em português, o hino da Força Expedicionária Brasileira -FEB, por libertar aquela região do domínio nazista. A Itália presta aos soldados brasileiros o tratamento que acham justo.

Meu Pai, Iony Calderini, Ex Combatente saudando a Bandeira desfile 7 setembro na época com 93 anos> Saudades eternas

Enquanto isso qualquer movimento de esquerda no Brasil, militantes queimam nossa bandeira, esquecendo que muitos brasileiros morreram defendendo essa bandeira que representa nosso país. Os tais movimentos que se diz esquerda, apoiam tudo de ruim que está acabando com nossa juventude e nosso país.

Por exemplo: a mesma esquerda que repudia quem elogia torturadores enaltece ditadores e ditaduras que torturaram e assassinaram milhares de vezes mais pessoas. As mesmas pessoas que pedem cadeia para Aécio e Temer pedem liberdade para Lula.

Por conta disso, os atos de indivíduos que representam a suposta classe dos “oprimidos” contra indivíduos que representam a suposta classe dos “privilegiados” são reparações, não crimes. Segundo a teoria socialista, um bandido que rouba alguém está tomando de volta o que deveria pertencer a ele. Um criminoso que assalta a estudante de uma universidade particular é um “agente da revolução do proletariado”. Não houve crime. Houve reparação. Se ele agredi-la ou matá-la, terá apenas dado vazão à revolta de sua classe contra “séculos de opressão burguesa”.

 O indivíduo e a sociedade são tomados como uma só realidade, que se movimenta, se transforma através das relações que a sua historicidade determina. Se o Brasil continuar assim, vai virar uma segunda Venezuela, que tanto a esquerda comunista apoia, onde o bandido e exaltado e a polícia escorraçada.