Por volta de 8:40 horas da manhã desta sexta-feira (22), um incêndio criminoso no mato que margeia a pista da BR 493, Arco Metropolitano ocasionou um engavetamento com 13 veículos, no início do Bairro Teixeira, na divisa de Seropédica e Itaguaí RJ.

O Motorista Rodrigo Rezende Marindina da Suzuki vinho, placa GQR 6277 de Contagem MG, contou ao Seropédica Online, que o acidente foi ocasionado pela fumaça que tomou conta da pista: “Eu e minha namorada estávamos indo em direção à Ilha Grande, de longe se via fogo na beirada da rodovia, só que a fumaça estava sendo jogada para o lado contrário da pista, mas de repente o vento mudou de posição jogando a fumaça de uma vez em nossa direção, diminui a velocidade jogando carro para o acostamento, nisso senti um impacto na traseira de meu carro, outros veículos que vinham atrás engavetaram um no outro, ocasionando este grave acidente” lamenta Rodrigo.

O motorista do Prisma Branco Placa LRN 9238 de Seropédica, falou que ele vinha numa velocidade moderada, na sua frente vinha um caminhão, de repente uma fumaça densa tomou conta da pista, o caminhão da frente freou, e fiz o mesmo, o carro que vinha atrás de mim colidiu na minha traseira, rodou e o ônibus pegou ele no meio. Uma senhora que vinha no Voyage prata placa LML 6338 do Rio de Janeiro, que virou uma sanfona, foi socorrida por populares, mas teve um ataque cardíaco e veio a falecer no local”

Cerca de 32 pessoas foram encaminhadas a vários Hospitais, São Francisco, Pedro II, Rocha Faria, e o Posto de Saúde de Seropédica. A maioria dos machucados estavam nos 3 Ônibus de excursão envolvidos no acidente. Ambulância do SAMU de Seropédica, Itaguaí e do Corpo de Bombeiros fizeram a remoção dos acidentados. A Policia Militar BPRV, fecharam a pista e orientavam os motoristas a usarem a outra pista em mão dupla.

Ocorrências de incêndios à beira da BR-493 e BR 465, colocaram a Polícia Rodoviária Federal (PRF) a PM do BPRV e o Corpo de Bombeiros em alerta. O tempo seco e quente tem sido o motivo das queimadas, que em muitos casos começam pelo hábito de jogar pontas acessas de cigarro das janelas dos veículos, ou por incêndio criminoso ocasionado por pessoas que cismam em colocar fogo no mato.

Neste mês, choveu apenas 13 milímetros (mm) na região da Baixada Fluminense, muito abaixo da média histórica para os meses de setembro/outubro, que é de 125 mm. Para as próximas duas semanas, a previsão da meteorologia é de seguir com poucas chuvas, o que aumenta o risco das queimadas devido ao mato seco. Os ventos fortes e o calor ajudam na propagação das chamas.

Conforme o Corpo de Bombeiros, além das pontas de cigarro, o fogo também pode ter início a partir de recipientes de vidro que são deixados na beira do acostamento. Esses vidros servem como uma “lupa” para focalizar a luz do sol, provocando calor e dando início ao fogo. Há ainda quem põe fogo no mato para limpar o local ou renovar a vegetação, prática que é proibida por lei.

As autoridades alertam que as queimadas às margens das rodovias podem ocasionar acidentes graves devido à fumaça e às chamas geradas, já que a visibilidade fica reduzida. A orientação é que se evite jogar bitucas de cigarros ou qualquer recipiente de vidro para fora de veículos e que não se coloque fogo em mato.

Faça o seu comentário