Desde o início das obras na Antiga Estrada Rio São Paulo, BR 465, vários moradores de Seropédica e de Nova Iguaçu, vinham questionando a forma que o DNIT realizou a recuperação da pista.

As obras em alguns pontos prejudicaram moradores que não conseguiam acessar a rodovia devido ao degrau criado entre as ruas municipais dos dois municípios. Tinha degrau que era de 50 cm mais alto que as ruas dos municípios, ocasionando acidentes e prejuízos.

No centro do município de Seropédica por exemplo, as ruas vicinais do centro do município os desavisados ficavam com seus carros presos em uma gangorra, amassando o fundo dos veículos.

O Vereador Bruno do Depósito, que é Presidente da Comissão de Defesa do Consumidor, percorreu toda extensão da BR 465 e ouviu moradores e estudantes nos pontos de ônibus, e enviou várias solicitações ao DNIT (Abaixo). A recuperação já iniciou para retirada dos degraus no centro de Seropédica. Entre os principais problemas encontrados foram:

  • Sulcos criando nos quebra-molas (pessoas levaram tombo ao atravessar a pista).
  • Pista da BR 465 com degrau para acesso as ruas dos municípios
  • Falta de placas identificativas de velocidade nos radares (criando multas e acidentes como aconteceu recentemente com uma carreta em frente a UPA. Tem lugares com placas pinchadas, outras apagadas. Outros sem placa. Em frente a UPA a velocidade direção RJ é 60 km, direção SP 50 Km.)
  • Tachões colocados para divisória de pista, que ocasionou acidentes. (Dias de chuva os locais estão escuros não dando para ver os tachões ocasionado dano na suspensão, rasgo em pneus, e acidentes com motociclistas.)
  • Falta cobertura em alguns pontos de ônibus. (Um dos mais usados fica no km 42 em frente ao posto de gasolina, onde moradores são obrigados a ficarem na chuva e no sol.)
  •  
  • O Conselho Comunitário de Segurança Pública de Seropédica, recentemente enviou ao DNIT um documento solicitando a sua presença em uma de suas reuniões a pedido do Vereador Bruno, para darem explicações a população sobre as obras, infelizmente o DNIT não está nem aí para os munícipes, obras malfeitas onde o dinheiro público que está em jogo nesta situação. 

    bruno do deposito

Faça o seu comentário