A Floresta Nacional Mário Xavier do município de Seropédica, foi legalmente criada em 1986 pelo Decreto Federal nº 93369 e abrange uma área de aproximadamente 493 hectares. Abriga em seus limites o fragmento florestal nativo mais significativo do município, ameaçado constantemente pelos incêndios e pelo pastoreio sem controle. É administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Tem uma parte de sua área derrubada, devido a construção do Arco Metropolitano, onde durante as obras foram interrompidas devido ao Habitat natural da quase extinta da Physalaemus Soaresi, também conhecida como rãzinha, única espécie no Brasil.

(Abaixo a História da Flona Mario Xavier e fotos do evento.)

O Chefe na Flona Mário Xavier, Ricardo Nogueira, inicia o evento as 9:00 horas, agradecendo a presença de todos: Os alunos da UFRRJ, os alunos Colégio Estadual Presidente Dutra, o Chefe da EMBRAPA, Gustavo Xavier, o Secretário de Agricultura e equipe de Paracambi,  César Seleri da CEDAE, professores do Departamento de Geografia,  Dr. Heitor S. Farias,  Regina Cohen,  Andrews Lucena, Leandro D. Oliveira, os servidores do IBAMA, a Diretora da EE Presidente Dutra, funcionárias da CBTU, os representantes de FURNAS, Geraldo Espinola, Valeria e Antônio Ricth, a Secretaria de Meio Ambiente e Agronegócios de Seropédica, João Luiz de Souza Monteiro e Hugo Bertolouto de Souza, a Professora, Pesquisadora e Ambientalista da UFRRJ, Dra. Karine Bueno Vargas.

Logo a seguir Ricardo inicia com apresentação da História do antigo Horto Florestal até a época atual. Logo depois a Ambientalista Dra. Karine fez uma apresentação de seu projeto que vai ajudar muito os alunos das escolas do município. Em seguida foi feito o descerramento da Placa e inaugurado o Centro de Vivencia Jair Costa, em homenagem pelos 53 anos dedicados a Flona Mario Xavier.  Em seguida foi oferecido um delicioso Coffee Break a todos presentes.

Após o coffee break foram plantadas 32 mudas de árvores nativas na entrada principal da Flona Mário Xávier para simbolizar a idade da Unidade de Conservação. Em seguida foram separados dois grupos para percorrem a Trilha do Triangulo que faz parte do projeto da Prof. Karine, e os alunos do curso de geografia da UFRRJ foram os monitores da trilha, apresentando o roteiro biogeográfico, que destaca 14 pontos de interesse na paisagem. Tal atividade encerou-se as 13 h, finalizando o evento.