Foi realizado nesta terça-feira (12), o I Fórum de Orientação Educacional & Psicologia, no Salão Azul da UFRRJ. O evento teve como Tema: “Interdisciplinaridade há 50 anos em busca de práticas integradas”.

No dia de 21 dezembro de 1968, a Lei nº 5564 que provê o exercício da profissão de orientador educacional foi decretada e sancionada pelo Congresso Nacional. São 50 anos de trabalho em busca de práticas integradas. Sua história é marcada pelo diálogo com as ciências de cunho social, principalmente, a Psicologia.

Diante disso, as Secretarias de Educação de Seropédica, Queimados e Itaguaí em parceria com o Laboratório de Psicologia e Informações Afrodescendentes (LAPSIAFRO/ UFRRJ) unem forças para enriquecer o trabalho da Orientação Educacional e da Psicologia Escolar como protagonistas de um processo interdisciplinar compromissado com a realidade educacional, política e social do nosso país, a começar por nossas cidades.

O evento que foi promovido pela Prefeitura de Seropédica e UFRRJ, e contou com o desenvolvimento de palestras ministradas por profissionais da área de Orientação Educacional.  A Mestre de cerimônia, Celiane Farias, deu inicio ao evento montando a Mesa de Abertura, que foi composta por Nilton Sousa, da LAPSIAFRO/UFRRJ, Laura Freire, Diretora Educacional da Prefeitura de Seropédica, Lina Vasconcelos, Secretaria de Educação de Queimados, e Claudia Sereno, da Secretaria de Educação de Itaguaí.

O Fórum foi coordenado por Renata Reis, Orientadora Educacional e Mestre em Psicologia e representante da UFRRJ Seropédica, que atua como coordenadora da Linha de Pesquisa: “Orientação Educacional & Psicologia Complexa”.

A Professora Mirian Grinspun foi homenageada como Referencia Nacional da Orientação Educacional, recebendo uma Placa de Gratidão; “A querida Professora Doutora Mirian Paura Zippin Grinspun, agradecemos por sua dedicação e pelo legado no campo da orientação educacional. Sua pratica fortalece nossa história, seus escritos nos dão respaldo e seus sonhos inspiram uma nova geração de educadores”.  

Após a homenagem, a Professora e Mestre em Educação pela UFRJ, Mirian Grinspun falou de sua trajetória como educadora e disse.  “Nós analisamos sobre dois principais pontos, o primeiro é entender o trabalho da Orientação Educacional atualmente nas escolas e o segundo é acrescentar esse contexto sobre o papel que a família exerce e a função do orientador como mediador desse processo”. Destaca Miriam Grinspun.

Palestrantes:

Conferencista convidada, Juaciara Gomes: Professora do curso de pedagogia da UFRRJ. Dayse Medeiros: Orientação Educacional como parte da equipe gestora. Renata Reis: Um resgate emocional, educacional e social de adolescentes com defasagem escolar. Vinicius Arruda: Grupo terapêutico temático (GT²). Praticas da psicologia complexa no espaço escolar. Elissandra Ângelo Vasconcelos: Pratica da Psicologia escolar. Rosangela Barbosa: A orientação educacional e o dialogo com a educação especial. Fabiana Brasil: A relação de orientador educacional com as professoras dos anos iniciais.

Curriculum da homenageada Professora Doutora Mirian Paura Zippin Grinspun

Possui graduação em Pedagogia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1961), graduação em Pedagogia Licenciatura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1962), graduação em Pedagogia Orientação Educacional pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1973), graduação em Pedagogia Supervisão Escolar e Administração Escolar pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1975), mestrado em Instituto de Estudos Avançados Em Educação pela Fundação Getúlio Vargas – RJ (1977) e doutorado em Filosofia pela Universidade Gama Filho (1984). Atualmente é professor titular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, atuando no programa de pós-graduação em Educação. Coordenadora do NUPEJOVEM, situado no PROPED/UERJ, desde 2001. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em juventude, seus valores, suas características, em especial as culturas juvenis e seu desempenho no contexto atual, a relação estabelecida entre os jovens e a tecnologia na busca da discussão/ compreensão das interferências valorativas sobre a concepção/ construção das múltiplas subjetividades. Atualmente desenvolve a pesquisa CULTURAS JUVENIS.

Faça o seu comentário