O aumento do uso de motocicletas ocasiona maior exposição do usuário da moto nas vias públicas e pode trazer, como consequência, maior probabilidade de acidentes. E nesta última quinta-feira (30) mais um acidente aconteceu na BR 465 próximo ao Brizolão 155, centro de Seropédica. Por sorte o motociclista não foi atropelado pelo carro que vinha logo atrás.

Segundo o condutor da motocicleta Leonardo Vieira de Oliveira de 32 anos, ele trafegava pela Estrada Rio São Paulo sentido Rio de Janeiro, e um Santana atravessou a pista o atropelando. “Ainda bem que estava de capacete, porque recebi uma pancada muito forte nele” desta Leonardo.  Duas Ambulâncias do SAMU prestaram socorro, com a participação do Coordenador Gilvan Telles. Leonardo teve fratura exposta na perna direita e várias escoriações pelo corpo.

Constantemente noticiamos acidentes de motocicleta em Seropédica, muitos deles fatal, ou então deixam o condutor com alguma sequelas. A vulnerabilidade do usuário da moto é evidente. Para ele não há proteções similares àqueles dos ocupantes de veículos de quatro rodas. Consequentemente, na colisão, que é um dos tipos de acidente de motocicleta mais usual, o motociclista absorve em sua massa corpórea toda energia gerada na colisão, seja indo de encontro com a via pública, seja com os objetos da mesma ou com outros veículos a motor. No impacto, a ocorrência de fraturas é frequente. No entanto, embora as extremidades sejam as regiões mais atingidas, as lesões mais graves estão relacionadas com os traumatismos crânio-encefálicos, ou fraturas nas pernas e nos braços.

Por isso aconselhamos a não dar motocicletas a seus filhos. O para-choque da motocicleta sempre é a cabeça. E dificilmente um acidentado de motocicleta não fique com sequela do acidente.

DSC_0054 DSC_0055 DSC_0056 DSC_0057 DSC_0058 DSC_0059 DSC_0060 DSC_0061 DSC_0063 DSC_0054 DSC_0055 DSC_0056 DSC_0057 DSC_0058 DSC_0059 DSC_0060 DSC_0061 DSC_0062 DSC_0063 DSC_0064 DSC_0065 DSC_0066 DSC_0067 DSC_0068 DSC_0069 DSC_0070 DSC_0071