A Secretaria Assistência Social e Direitos Humanos de Seropédica realizou neste sábado (30/11) a II Ação Social de Seropédica (Ação Global), no Colégio Estadual Waldemar Raythe no centro do município, e teve a parceria do Conselho Tutelar de Seropédica, a Secretaria de Direitos Humanos do Estado do Rio de Janeiro, Fundação Leão XIII, DETRAN, Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, e a Secretaria de Saúde e Defesa Civil de Seropédica.

Centenas de pessoas participaram deste evento, onde tiraram a 2º Via da Carteira de identidade, Certidão de Nascimento ou Casamento, Gratuidade para retirada de documentos, CPF, foto, além disso foi distribuído roupas e agasalhos para os mais necessitados, Aferição de Pressão Sanguínea, distribuição de camisinha, corte de cabelo, e Exercício Aeróbico.

A Secretária de Ação Social e Direitos Humanos Patrícia Amaral falou que: “Este trabalho visa atender a todos os munícipes que necessitem atendimento como o do Bolsa Família. E quando chega o final do ano as pessoas necessitam ter seus documentos em dia, os documentos são aqueles que favorecem ao cidadão o reconhecimento de sua Pessoa em qualquer parte do território nacional, ingressar como funcionário ou Empregado em instituições, prestar exames ou matricular-se em quaisquer Estabelecimentos de ensino, inscrever-se em concursos e ter a possibilidade de Adquirir bens “. Concluiu.

Em seguida a Secretária de Ação Social e Direitos Humanos deu posse ao Comitê Gestor de Erradicação do Sub-registro, onde foi indicado dois membros de cada Secretaria da Prefeitura, para atuarem como fiscalizadores e orientadores, onde o Comitê pretende discutir a erradicação do sub-registro civil de nascimento e ampliação do acesso à documentação básica em Seropédica, uma das representantes do Comitê Vania Marthins diz que: “o número é preocupante, considerando que o sub-registro acontece quando os nascimentos ocorridos em um ano não são registrados até o final do primeiro trimestre do ano seguinte. “É um problema que causa um grande prejuízo porque a criança precisa da certidão de nascimento para ter acesso ao pleno exercício da cidadania” finaliza.

posse

social