A Prefeitura de Seropédica através da Secretaria de Saúde realizou neste último sábado (16), a III Intersetorial de Saúde com o Tema “Saúde Mental e a Importância da Psicologia nos Dias Atuais”.

O evento foi coordenado pela Psicóloga Cássia da Silva Nobre, que destacou; “A Importância da Psicologia na área da Saúde Mental hoje em dia, seria conscientizar as pessoas a buscar ajuda terapêutica, que no meu ponto de vista, proporciona um convite ao autoconhecimento ferramenta indispensável para o sucesso diante dos percalços da vida”.

Logo no início foi passado um vídeo com a apresentação do evento, falando sobre a pessoa portadora de transtornos mentais associadas à elevação ou ao rebaixamento do humor, como a depressão.

A depressão é um distúrbio afetivo que acompanha a humanidade ao longo de sua história. No sentido patológico, há presença de tristeza, pessimismo, baixa autoestima, que aparecem com frequência e podem combinar-se entre si. É imprescindível o acompanhamento médico tanto para o diagnóstico quanto para o tratamento adequado.

O Psicólogo Dr. Carlos Roberto Nunes da Silva, que trabalha no Centro de Especialidades Medicas de Seropédica (CEMES), durante o evento, realizou Palestra Sobre a Depressão e o Suicídio. “É importante compreender o transtorno e a relação com o suicídio que muitas vezes não é considerada uma patologia psicológica, mas relacionados a outros fenômenos como espirituais ou sociais. Por exemplo; o rompimento de um relacionamento, endividamento, uma doença grave, pode levar a pessoa a depressão”.

Uma pessoa se suicida a cada 45 segundos no Brasil. Os dados mundiais indicam que ocorre uma tentativa a cada três segundos e um suicídio a cada 40 segundos. No total, chega-se a 1 milhão de suicídios no mundo.

A depressão é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o “Mal do Século”. No sentido patológico, há presença de tristeza, pessimismo, baixa autoestima, que aparecem com frequência e podem combinar-se entre si. A depressão provoca ainda ausência de prazer em coisas que antes faziam bem e grande oscilação de humor e pensamentos, que podem culminar em comportamentos e atos suicidas.

O tratamento é feito com auxílio médico profissional, por meio de medicamentos, e acompanhamento terapêutico conforme cada caso. O apoio da família é fundamental. Ao contrário do que normalmente se pensa, os fatores psicológicos e sociais muitas vezes são consequência e não causa da depressão. Vale ressaltar que o estresse pode precipitar a depressão em pessoas com predisposição, que provavelmente é genética.

Estima-se que uma em cada cinco pessoas no mundo apresentam problemas relacionados a depressão em algum momento da vida. A melhor forma de prevenir a depressão é cuidando da mente e do corpo, com alimentação saudável e prática de atividades físicas regulares. Atividades físicas liberam hormônios e outras substâncias importantes para manutenção do humor.

Quando a depressão se instala, o apoio de amigos e familiares faz toda a diferença. São eles que podem oferecer a ajuda necessária para que o deprimido supere a doença.

Veja o que você nunca deve dizer a alguém em depressão:

1 – Comparar a situação dela com a de outras pessoas

Apontar que há muita gente com problemas “piores” não ajuda o deprimido a se sentir melhor. O amigo pode achar que comparar a pessoa com depressão a alguém que perdeu um ente querido ou foi à falência é um jeito de oferecer perspectiva, mas, mesmo bem-intencionado, o gesto não oferece nenhuma empatia.

Os motivos pelos quais os indivíduos entram em depressão são muito diversos e particulares — e nem sempre são causados por fatores externos, como algum acontecimento negativo. Portanto, é importante entender a depressão como doença e o impacto que ela causa na vida do deprimido, independente do gatilho.

2 – Pedir para olhar pelo lado positivo

Dentre as principais características da depressão, está a prevalência de pensamentos negativos e dificuldade de acreditar que tudo dará certo. Tal sintoma, portanto, é causado pela condição e deve ser tratado com ajuda profissional. Ou seja: não depende de um esforço de “olhar pelo lado positivo”.

Não é que o deprimido esteja resistindo a ser mais positivo e otimista; ele simplesmente não consegue.

3 – Perguntar à pessoa o que tem de errado com ela

A depressão é uma condição estigmatizada e muita gente ainda não a encara como doença. Perguntar ao deprimido o que tem de errado com ele é forma de deslegitimar seu distúrbio e sugerir que os sintomas são causados por algum comportamento próprio.

4 – Pedir para “simplesmente seguir em frente” ou “sair dessa”

A depressão é uma doença que exige tratamento profissional e pode ter consequências graves. Não depende, então, de um simples esforço individual e corriqueiro, como o aplicado para acordar cedo ou estudar para uma prova. Depressão não é frescura.

5 – Dizer que não pode fazer nada por aquela pessoa

Muitas vezes, o deprimido só precisa ser ouvido ou entender que sua dor é compreendida. Colocar-se no lugar do outro e fazer gestos simples como oferecer um abraço, um ombro amigo, sugerir atividades de que a pessoa gosta, oferecer comida ou levar a pessoa até o psiquiatra têm um benefício maior do que o esperado.

Mas atenção: sempre há meios para ajudar alguém com depressão, mas o apoio profissional é indispensável.

6 – Dizer que irá se sentir melhor amanhã

Aqui vale o mesmo princípio das frases “siga em frente” ou “saia dessa”. A depressão é uma doença que exige acompanhamento profissional para que o doente possa se recuperar e retomar a sua vida normal. Não é uma tristeza passageira que irá melhorar de um dia para o outro, sem o apoio necessário.

7 – Estigmatizar a terapia ou qualquer outro tratamento

Apenas os profissionais de saúde, como os psiquiatras, podem indicar o melhor tratamento para o depressivo. Portanto, não estigmatize o recurso utilizado por seu amigo ou familiar para se sentir melhor, seja a terapia, uso de remédios ou outras medidas, como prática esportiva ou meditação. Evite fazer sugestões não solicitadas de tratamento dos quais você ouviu falar ou soube por terceiros, porque elas podem soar como uma tentativa de invalidar as escolhas da pessoa com depressão.

8 – Culpar o depressivo pela sua condição

A depressão pode ter diversas causas, biológicas ou não. Mas nenhuma delas é desenvolvida por culpa ou fraqueza do depressivo. Dizer isso a alguém com depressão irá contribuir para a piora do seu quadro.

9 – Perguntar por que a pessoa não pode simplesmente ser feliz

A depressão é caracterizada, principalmente, por uma sensação constante de vazio e tristeza e pela perda de capacidade de sentir prazer ou desejo. Tais sintomas são causados pela doença — assim como você sente calafrios quando está com febre ou dores abdominais quando tem uma infecção intenstinal. Portanto, devem ser curados por meio de tratamentos sugeridos por profissionais.

O Psicólogo Dr. Carlos Roberto do CEMES, disse que as pessoas que estiverem com problemas de depressão devem procurar ajuda, procurando um médico no Posto de Saúde, onde ele vai fazer encaminhamento a um especialista. Em Seropédica o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), tem uma equipe de especialistas que podem ajudar a pessoa se curar.

Esteve presente a Primeira-dama de Seropédica, isabel Ribeiro, que veio representar o Prefeito Professor Lucas.