Prefeitura de Seropédica realiza a II Semana da Conciência Negra

0
64

Foi realizado nesta sexta-feira (18) Comemoração da II Semana da Consciência Negra, no Auditório da Câmara de Vereadores de Seropédica. O evento teve como Tema “Protagonismo Negro” A Ascenção dos nossos em todos os lugares.

A solenidade teve início com a Voz e Violão de Simone Humaitan que abrilhantou o evento, arrancando aplausos de todos.

Durante o evento houve várias palestras sobre o Protagonismo Negro: Amauri Mendes, (professor da UFRRJ e fundador da MNU), Myrna Brito, (professora e advogada), Adriana Carla dos Santos Silva (Coordenadora Municipal do Núcleo Educação de toda cor/ Diversidades das Relações Étnico-Raciais de Paracambi).

Os Palestrantes destacaram que o Brasil é o país com a maior população negra fora da África e o segundo com maior população no mundo, ficando atrás somente da Nigéria. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 55,8% da população brasileira é negra.

Porém, essa porcentagem diminui significativamente entre a parcela com maior renda, sendo esse percentual de apenas 17%. Em contrapartida a esse cenário, quando se olha para a população mais pobre (com renda familiar de até R$ 130,00 por pessoa), a condição das pessoas negras é majoritária.

Existem diversos motivos sociológicos e culturais para explicar a situação de desigualdade enfrentada pela população negra no Brasil, entre as quais está uma das mais cotidianas: o racismo.

É difícil encontrar, no Brasil, uma pessoa abertamente racista, mas não é incomum se deparar no cotidiano com situações em que pessoas negras são desrespeitadas devido à cor de sua pele.

Muitas vezes, as práticas racistas são tão enraizadas que as pessoas sequer se dão conta de que estão contribuindo para a perpetuação do racismo.

Um exemplo muito comum desse tipo de situação são expressões usadas no cotidiano, como: “preto de alma branca”, “denegrir”, “neguinho fez isso ou aquilo”, “negra de traços finos”, “mulata tipo exportação”, “a coisa está preta”, “mercado negro”, “fazer nas coxas”, “serviço de preto”, “não sou tuas negas”, entre tantas outras.

Outro ponto ainda mais preocupante é o extermínio da população jovem negra, que é a que mais morre no Brasil, vítima de violência. De acordo com pesquisa de 2017, de cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras — o que revela um dado assustador.

Desde que chegaram ao país, os africanos e seus descendentes lidam com as dores e desafios de ter “melanina demais” na pele em uma sociedade preconceituosa. As lutas seculares e a resistência característica do povo negro são mais necessárias do que nunca, na busca pelo tão merecido respeito e igualdade de direitos.

O evento teve apoio das Secretarias de Turismo e Cultura com a participação de da Secretária Monica Figueiredo e a Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, com a participação da Subsecretária Pretta Gonçalves, Secretaria de Governo, Secretário Fabio Mofati, Controladoria do Município Controlador Gessimar, Secretaria de Segurança e Ordem Pública, Secretário Anderson Medeiros.

Neste próximo sábado (19), a partir das 9;00 horas, haverá uma solenidade para colocação do Busto do Zumbi dos Palmares, que foi reformado pela Secretaria de Turismo e Cultura.