Na manhã desta quinta-feira (04/09), equipe do GIC da 48º Delegacia de Polícia de Seropédica, coordenada pelo Investigador Marcio Terreso, prenderam Elisângela Azevedo Pereira numa obra no Bairro Boa Esperança, onde ela trabalhava como Pedreiro. O Investigador Marcio estava também atrás do cúmplice dela, que ainda se encontra foragido. “Em breve vamos pôr as mãos nesse bandido, estamos trabalhando nesta investigação e sabemos que muito em breve vamos prendê-lo” destaca Marcio,

A Delegada Vanessa Martins fala que a prisão de Elisângela Azevedo Pereira de 37 anos, era uma prioridade e uma das investigações mais importantes da 48º DP, devido a comoção publica que houve, foi um assassinato brutal de um Professor muito querido pelos universitários e vizinhos da localidade onde morava. a delegada falou: “Assim que houve a prisão, pairava uma dúvida, se a intenção deles era roubo ou intenção de mata-lo, razão pela qual eles foram enquadrados em Homicídio, porem agora depois das declarações exaradas pela Elisângela pela ocasião de sua prisão, ficou claro que se tratava de latrocínio, roubo seguido de morte, eles foram lá para roubar o Sr. Valdir Diola, e houve reação, e os dois acabaram matando o professor” destaca.

A Dra. Vanessa fala que Elisângela morava em frente à casa do Professor, e sempre pedia dinheiro emprestado, mantinha conversas, tinha todo um link com ele, inclusive na época ela devia dinheiro para ele, no dia do fato, eles tinham combinado com o professor que eles iriam no Banco para desbloquear o cartão bancário de Elisângela, para sacar o dinheiro para paga-lo, então tudo trouxe uma conjuntura que levou a morte dele. O Professor Valdir Diola foi assassinado no dia 25 de outubro de 2013, dava aulas há quatro anos na UFRRJ e era chefe do Departamento de Genética do Instituto de Biologia do Campus Seropédica.

32

Faça o seu comentário