Arma é do mesmo modelo que, segundo a investigação, foi utilizada para matar a vereadora e o motorista Anderson Gomes.

A perícia preliminar feita pelo Instituto Carlos Éboli indicou que os projéteis encontrados na cena do crime da vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes não são da submetralhadora modelo MP5 apreendida na quarta-feira (30) em Itaguaí, município da Região Metropolitana.

A arma é do mesmo modelo que, segundo a investigação, foi utilizada para matar a vereadora e o motorista. A submetralhadora foi apreendida durante operação do Departamento Geral de Polícia da Baixada (DGPB) para desarticular um grupo de milicianos. Além do armamento, foi preso Ruan de Oliveira Dias, que estava em um apartamento num condomínio do bairro.

Submetralhadora do mesmo modelo que matou Marielle foi apreendida (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Fonte: Portal G1