Tragédia aconteceu após o motorista entrar na contramão de uma via do bairro

Homem em caminhão atropela pedestres e destrói carros na Penha – Marcio Mercante / Agencia O Dia

Rio – Um homem dirigindo caminhão do tipo reboque atropelou pedestres e bateu em diversos carros, na tarde desta terça-feira, na Penha, Zona Norte do Rio. O motorista morreu a caminho do Hospital Getúlio Vargas (HGV), no mesmo bairro. A causa da morte é desconhecida e será investigada. Na cabine do veículo, a PM encontrou um pino de cocaína. Segundo o Corpo de Bombeiros, cinco pessoas atropeladas foram atendidas por equipes da corporação.

A tragédia ocorreu no início da tarde, quando o motorista percorreu mais de 500 metros pela contramão, entre as ruas José Maurício e Comandante Conceição, em direção ao Largo da Penha. Ele ainda não foi identificado. Os feridos foram levados para o Getúlio Vargas. A Secretaria Estadual de Saúde ainda não informou o estado de saúde das vítimas. De acordo com a PM, uma mulher identificada como Ana Lima recusou atendimento. 

Inicialmente, a Polícia Militar informou que 10 pessoas haviam sido atropeladas e que uma delas tinha morrido, além do motorista; mais de três horas depois, em nova nota, a corporação só citava que houve pedestres feridos e não relatava a morte de nenhum transeunte.

“O motorista do reboque, que chegou a ser linchado por populares, foi retirado da cabine do veículo por policiais da UPP Vila Cruzeiro e também levado ao HGV, onde veio a óbito. O local foi preservado para a perícia da Polícia Civil”, disse a PM, por volta das 18h35. A forma como o motorista foi jogado na caçamba de um veículo da corporação gerou polêmica nas redes sociais. Aparentemente, ele estava desacordado. A instituição falou sobre o assunto:

“Com relação aos procedimentos adotados pelos policiais durante o resgate do motorista do reboque, as imagens serão analisadas pela Corregedoria da Polícia Militar”, finalizou a PM.

Quem testemunhou o incidente ficou chocado:

“Parecia um atentado terrorista. O caminhão chegou arrebentando tudo quanto é carro. Só não arrastou mais porque uma moto que parou debaixo do caminhão o travou”, relatou o militar Hilário da Silva Damazio, de 52 anos, que testemunhou o incidente.  

“Agradeço a Deus e aos meus orixás pelo livramento. Um louco na contramão saiu atropelando um monte de gente na Penha. Por pouco eu não fui atropelada também, foi uma coisa horrível”, disse uma internauta no Facebook. 

A direção do Hospital Estadual Getúlio Vargas informou que os pacientes Nilson Conceição de Souza, Camila Ferreira de Araújo e Lorhan Perciliano Oliveira foram atendidos na unidade e receberam alta hospitalar nesta terça-feira. Já o paciente Daher Vianna Siab apresenta estado de saúde estável.

Fonte: Jornal O Dia

Tecnólogo em Sistemas de Informação.

Faça o seu comentário