Homem já ganhou 70 vezes na loteria e diz que pode ensinar como fazer

O pernambucano técnico em contabilidade Guilhermino Ferreira, de 41 anos, adora matemática e costumava jogar toda semana em pelo menos uma loteria. Os números escolhidos eram aleatórios: data de aniversário de um familiar, placa de carro dos amigos, telefone de algum conhecido. Mas nunca faturava absolutamente nada. O portal de notícias Terra conta que, certo dia, Guilhermino resolveu parar de “jogar dinheiro fora”, como ele diz, e começou a estudar como poderia aumentar suas chances no jogo. Desde então, o apostador garante que já ganhou mais de 70 vezes.

Ferreira trabalha hoje como pesquisador de loterias nacionais e internacionais, tem um livro publicado e administra um site dedicado ao tema. Além disso, presta serviço de “consultor” a apostadores de países do mundo todo, como Espanha, Reino Unido, Alemanha, Estados Unidos, Austrália, Bélgica, Portugal e Japão.

“A matemática é uma ciência exata e pode, sim, ajudar o apostador. Depender da sorte não é um bom negócio. Acredito que a sorte pode ser ‘melhorada’. Para mim, em uma loteria, 45% é investimento, 45% é estratégia e 10% é sorte”, afirmou em entrevista ao Terra.

As orientações do especialista servem para qualquer tipo de loteria, entre elas Mega-Sena, Quina, Lotofácil, Timemania, Lotomania, Dupla-Sena e Loteca. Mas atenção à principal dica: mesmo com métodos, estudos e sugestões, não existe garantia de vitória, portanto nunca invista um dinheiro que lhe fará falta. “Eu mesmo jogo com frequência, mas no máximo R$ 100 por semana. A loteria deve ser encarada sempre como entretenimento. Você não deve jogar alto, jogue pouco dinheiro, mas use as dezenas certas se baseando em dados estatísticos”, disse.

Segundo o especialista, seus prêmios somados giram em torno de R$ 150 mil. Ele já faturou com quinas da Mega-Sena, quadras da Mega-Sena da Virada e acertos de “14 pontos” da Lotofácil. A Sena, prêmio máximo do País, no entanto, nunca saiu em suas cartelas. “Ganhar o prêmio máximo não é tarefa fácil. Nunca acertei a Sena porque nunca tive essa sorte e também nunca investi muito alto. Mas existem cálculos para quem quer e possui recursos para tentar”, afirmou.

As dicas

No livro O Manual das Loterias, as dicas de Ferreira são voltadas especificamente para a Mega-Sena, mas podem ser adaptadas também para as outras loterias. O consultor mostra resultados de uma pesquisa em que encontrou as dezenas de frequência alta (que já foram sorteadas repetidas vezes) e as de frequência baixa (que não foram sorteadas muitas vezes). O jogo ideal, segundo ele, possui pelo menos duas ou três dezenas do primeiro grupo. São elas: 04, 05, 07, 12, 13, 16, 17, 23, 24, 29, 30, 32, 33, 37, 38, 41, 42, 43, 47, 49, 50, 51, 53, 54, 58 e 59.

O autor informou que não se deve jogar em números seguidos nem em números que estão na mesma coluna (na vertical). Além disso, declara que se deve apostar na mesma quantidade de dezenas pares e ímpares e separar a cartela em quatro quadrantes, selecionando sempre dezenas de quadrantes diferentes.

No entanto, é importante lembrar que não existe garantia de vitória nas loterias, portanto jamais aposte um dinheiro que lhe fará falta. As chances de você ganhar na Mega-Sena com um jogo normal de seis números é de apenas uma em cada 50.063.860. Na Quina e na Lotofácil, consideradas mais “simples”, a probabilidade cai (mas continua elevada): uma em cada 24.040.016 e uma em cada 3.268.760, respectivamente.