O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), sinalizou que não colocará em votação o veto da presidente Dilma Rousseff ao fim do fator previdenciário.Nesta quinta-feira, o senador fez questão de enfatizar que foi um avanço, a adoção, por parte do governo, do novo cálculo da previdência, a chamada regra 85/95. Falta agora, na opinião de Renan, melhorar a regra da progressividade na tramitação da nova medida provisória.

“O importante é saber como o Congresso vai receber a medida provisória. O congresso, terá oportunidade para melhorá-la. Eu acho que tem que melhorar essa regra da progressividade, mas não podemos deixar de dizer que, em relalão ao 85/95, já houve avanços”, disse.
Renan tem sido pressionado por sindicalistas a cumprir a promessa de colocar o veto à regra que prevê o fim do fator previdenciário ainda neste semestre. De acordo com sindicalistas, Renan, antes da decisão de Dilma, havia prometido marcar a apreciação do veto para o dia 14 de julho, véspera do recesso parlamentar.

previdencia social