Abertura de inquéritos contra os ministros Edinho Silva e Aloizio Mercadante reforça movimento por reformas que estanquem a crise

planalto brasilia

A decisão do ministro Teori Zavascki, do STF, de abrir inquéritos contra os ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Edinho Silva (Comunicação Social) reforçou a pressão por reformas ministerial e administrativa no Palácio do Planalto.

Segundo ministros da presidente Dilma Rousseff ouvidos pela Folha de São Paulo, essa é a única saída para a crise política.

Edinho e Mercadante foram citados em delação do empreteiro Ricardo Pessoa, da UTC, como beneficiários de recursos do petrolão.

A abertura de inquéritos significa o aprofundamento da investigação, que atinge o sitema nervoso do Planalto. Marcadante é o braço direito da presidente. Edinho, tesoureiro da campanha de Dilma em 2014, atua como “bombeiro” da crise.

Teori também determinou instauração de inquérito contra o senador Aloyzio Nunes (PSDB-SP). Nos casos de Mercadante e Nunes, as suspeitas recaem sobre financiamento de campanhas em . Três negam as irregularidades.