Empresa francesa sofreu quatro grandes ataques nos últimos doze meses.

Só no último ano, foram quatro ataques importantes contra terceirizadas da empresa. A agência de notícias francesa AFP publicou uma reportagem que ligava os ataques à China.

Hoje (27), o Ministério de Relações Exteriores da China voltou a negar envolvimento nos ataques cibernéticos. Em entrevista coletiva, Geng Shuang, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores, afirmou que “a China se opõe resolutamente a qualquer forma de ataque cibernético. Reportagens recentes são irresponsáveis, pouco profissionais e têm segundas intenções”.

Os ataques foram realizados por meio de sistema de computadores de seus fornecedores, e fontes de segurança suspeitavam de um vínculo com o país asiático.

Um porta-voz da Airbus afirmou que a empresa “monitora continuamente essas ameaças através de sistemas de detecção e pode tomar medidas imediatas e apropriadas para se proteger a todo momento”.

Fonte: Olhar Digital