Garganta seca, dor no corpo, coriza, indisposição e tosse. Esses, são alguns dos sinais que seu corpo dá, que mostram que é o momento de buscar ajuda médica

É comprovado que a mudança climática afeta a saúde das pessoas. Por ser algo comum, muita gente associa que alguns sintomas de doenças foram causados pelo calor ou pelo frio. Dessa forma, acabam se automedicando pensando que é algo passageiro. Mas, esse hábito pode trazer sérias consequências para o bem-estar da pessoa.

As doenças causadas pela mudança do tempo podem ser virais, bacterianas ou alérgicas, os sintomas se assemelham, mas o tratamento para cada uma delas é diferenciado, conforme explica a médica pediatra, que também é alergista e imunologista, Juliana Salim.

“Em épocas chuvosas, como vivenciamos nessas últimas semanas, é comum aumentar os casos de pessoas doentes, porque às casas tendem a ficar fechadas, os locais estão mais aglomerados e úmidos, impedindo a circulação de ar. Isso torna o ambiente mais propício para o desenvolvimento de ácaros e fungos (mofo), aumentando a propagação de vírus e bactérias”, explicou Salim.

De acordo com a médica, os sintomas mais comuns de contaminação são obstrução nasal, garganta seca ou sensação de garganta arranhando, tosse, coriza, espirro, dor no corpo, febre e indisposição. “As pessoas que já são alérgicas estão mais propensas as doenças respiratórias”, destacou.

Em relação ao tempo de manifestação dos sintomas a especialista comenta que depende da pessoa (se é alérgica ou não) e do tipo de vírus. “Quando é um rinovírus, ele tende a se manifestar mais rápido, entre 2 a 7 dias. Mas, quando ataca uma pessoa alérgica, os quadros podem ficar mais exacerbados, porque elas possuem pré-disposição de mucosa inflamada previamente, dessa forma, os sintomas se manifestam mais rápido”, explicou Salim.

A imunologista destaca que quando não tratada adequadamente, a doença pode evoluir para uma gripe, faringite ou sinusite, o que causa, também, a febre.

Tratamento

“Quando a pessoa foi contaminada por alguma bactéria, o tratamento deverá ser medicamentoso, por meio de antibióticos. Em caso de vírus é sintomático (tratar os sintomas), como remédio para dor, ingerir líquidos e ficar de repouso. Nos casos alérgicos, é prescrito anti-histamínicos. Por isso, é importante consultar o médico, somente um especialista poderá identificar a doença e prescrever o tratamento ideal”, alertou a imunologista.

Prevenção 

Contudo, é muito importante que diante de mudanças climáticas as pessoas se previnam das doenças. Algumas dicas da médica para evitar a proliferação e contaminação dos vírus e bactérias são:

– Ventilar a casa;

– Lavas as mãos e utilizar álcool em gel;

– Cobrir o nariz e boca quando for espirrar;

– Beber bastante água para evitar o ressecamento da mucosa;

– Alimentar-se bem e de forma balanceada.

Grupos do risco

– Pessoas com pré disposição alérgica;

– Crianças e idosos, porque estão com o sistema imunológico em construção e fragilizados, respectivamente.

Fonte: Folha Vitória

Faça o seu comentário