As chamas começaram às 6h e, em torno de 6h30 já estavam controladas

Na manhã deste sábado, 15/01, a Cobal do Humaitá sofreu um incêndio. As chamas começaram às 6h e, em torno de 6h30 já estavam controladas. De acordo com o presidente da Associação de Moradores do Humaitá (AMAHu), a ação rápida do Corpo de Bombeiros evitou um problema mais grave.

“Gostaríamos de informar que o incêndio que alcançou a COBAL do Humaitá na manhã de hoje, só não teve proporções enormes e aterrorizantes graças a atuação diligente e rapidíssima do Corpo de Bombeiros – Humaitá a quem deixamos nosso agradecimento. No mais cabe informar que começou provavelmente em fiação (ainda sem identificação) e propagou-se rapidamente na parte aérea do Mezanino pegando algumas áreas superiores de lojas comerciais, além de uma parte do telhado. Tal situação muito nos aterroriza mas devemos deixar claro que estamos a muito lutando para aquela Unidade seja transferida para a Cidade do Rio de Janeiro, seja Município ou Estado, em parceria com os empresários do local para que possamos ter condição de fazer investimentos pesados em infra estrutura e melhorias em geral. Hoje NÃO temos autorização para fazermos qualquer obra de manutenção, no entanto taxas são cobradas e valores são pagos para ineficiência ser perpetrada. Nunca deixamos de afirmar que existem situações jurídicas delicadas de todos os níveis naqueles espaços mas nada que impeça ou que não se tenha possibilidade jurídica de resolver por ajuste. Queremos deixar claro que os empresários que estão naquele local, tem prova farta de que a muito tempo estão brigando para e pela manutenção do local, para transformar em um ” Mercado da Ribeira Carioca” mas que o grande inimigo é o poder público”, disse, Luiz Carlos, presidente da Associação de Moradores do Humaitá (AMAHu).

A Cobal é administrada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), do governo federal. Em nota, eles informaram que:

“Neste sentido, recentemente diversos armazéns, galpões e prédios da Conab foram qualificados no Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do Governo Federal – entre eles os dois hortomercados do Rio. A medida tem como objetivo modernizar e promover melhorias de infraestrutura nos imóveis da estatal, mediante parceria com a iniciativa privada. No caso dos hortomercados do Leblon e do Humaitá, os estudos deverão considerar a manutenção da prestação prioritária de serviços relativos à comercialização de produtos hortifrutigranjeiros, observadas, ainda, a melhoria na qualidade da prestação dos serviços e modernização e adequação das instalações visando maior segurança e acessibilidade para os usuários. As tratativas se encontram em estágio avançado e a expectativa é que este trabalho gere resultados já nestes primeiros meses de 2022. Da mesma forma, a Conab tem mantido diálogos constantes com o Ministério da Economia, com o objetivo de receber recursos para promover melhorias na infraestrutura de ambos os hortomercados, o que é esperado que ocorra ainda neste primeiro semestre. A Companhia mantém a posição de levar adiante as tratativas acima elencadas para que possa haver o adequado investimento na revitalização dos espaços, gerando assim melhores condições aos frequentadores e comerciantes da Cobal do Humaitá e do Leblon”.

Fonte: Diário do Rio