Bombeiros buscam desaparecidos após deslizamento arrastar 15 carros e 6 caminhões

0
413

Deslizamento interdita os dois sentidos da rodovias em Guaratuba (PR) desde as 19h de segunda (28). Um corpo foi resgatado por volta das 22h30.

Bombeiros realizam buscas por desaparecidos na manhã desta terça-feira (29) após 15 carros e seis caminhões serem arrastados por um deslizamento na BR-376 em Guaratuba (PR) na noite de segunda (28).

RESUMO:

  • Uma morte foi confirmada pela Polícia Rodoviária Federal até por volta de 10h desta terça.
  • Governo do Paraná não informou quantas pessoas estão desaparecidas.
  • Houve dois deslizamentos. O primeiro começou às 15h30 de segunda, quando um talude cedeu no trecho de serra e uma das pistas foi interditada. O trânsito fluiu por pista única. Às 19h30, houve novo deslizamento, carros foram atingidos e os dois sentidos da rodovia foram interditados.
  • As buscas foram interrompidas na madrugada devido à instabilidade do tempo, mas foram retomadas nesta manhã.

Pessoas ilhadas em SC e PR

Edgar Filho é um dos caminhoneiros que ficaram parados na BR-101, em Garuva, no Norte de Santa Catarina, desde o deslizamento de terra que interditou a BR-376. Depois de ficar 16 horas no local, o motorista esperava na manhã desta terça que algumas lanchonetes na beira da estrada abrissem para poder se comer.

“Estamos esperando as lanchonetes da lateral [da pista] abrirem, mas não estão abrindo. Estamos sem comer desde ontem, sem janta”, disse.

No Paraná, a cabeleireira Daniela Morales de Subeldia, 55 anos, precisou andar 3 km debaixo de chuva depois de passar a noite em um ônibus na BR-376. Ela voltava de Itajaí (SC) para Foz do Iguaçu, onde mora.

“Saí da rodoviária de Itajaí às 17h. Ficamos a noite inteira na chuva, passando frio, passando fome. Tem muita gente passando fome, gente com criança. Não tinha como sair de lá [rodovia], tínhamos que sair a pé. Andei 3 km”, disse ao g1.

Após passar a noite no local, a cabeleireira decidiu ir andando até a rodoviária mais próxima, que fica em Garuva. Na rodoviária, conseguiu um táxi para levá-la a Joinville, de onde tentaria seguir de volta para a casa da irmã, em Itajaí.

Bloqueios de segurança e alternativa

Rota alternativa após deslizamento — Foto: Arte/g1

Rota alternativa após deslizamento — Foto: Arte/g1

A ligação entre o Paraná e Santa Catarina pela BR-376 foi interditada e, por conta do deslizamento, polícia e concessionária estabeleceram bloqueios de segurança nos seguintes pontos:

  • Praça de pedágio de São José dos Pinhais (PR), no km 635 da BR-376;
  • Unidade operacional da PRF em Tijucas do Sul (PR), no km 662 da BR-376;
  • Praça de pedágio de Garuva (SC), no km 1,3 da BR-101.

No último ponto, já em Santa Catarina, a polícia informou haver filas com mais de oito quilômetros.

A concessionária reforçou que motoristas busquem os pontos de retorno. Alguns chegaram a ser abertos durante a noite. Para motoristas próximos aos pontos de bloqueio, há áreas de retorno nos seguintes locais:

BR-376, sentido Santa Catarina

  • Km 635: retorno nos kms 617, 619, 625 e 633;
  • km 662: retorno nos kms 644, 648 e 654;
  • km 669: retorno no km 663.

BR-101 (SC), sentido Curitiba

  • km 1,3: opções de retorno nos kms 27, 25, 20, 14, 10, 6 e 1,8.

A ALS também informou que, no caso de motoristas que precisem seguir viagem entre os estados, as rotas alternativas são via BR-470 e BR-116.