Nas últimas semanas a Câmara de Vereadores travou uma verdadeira guerra para a votação das Comissões Permanentes da Casa.

A controvérsia girava em torno se o Presidente Dede Bananeiro votava ou não para as Comissões Permanentes. Ficou perceptível para quem assistia a sessão que o Presidente queria votar para beneficiar o grupo que compõe a mesa diretora. Pasmem!!  Caros leitores, nas votações anteriores os Presidentes nunca votaram nas Comissões Permanente, mais desta vez o Presidente tentou usar o famigerado “jeitinho brasileiro” para beneficiar o grupo do qual faz parte.

Para fundamentar sua atitude o Presidente pediu ao Procurador da Câmara que analisasse o regimento interno, e esse o fez notadamente de forma sofista e demagógica, pois usou uma interpretação que só existia na cabeça dele, no entanto, beneficia o grupo da presidência.

No próximo dia 16 o imbróglio será definido, pois, o Procurador irá pôr no papel aquilo que só estava na mente dele. O que causou estranheza aos Vereadores foi a afirmativa do Procurador em dizer que já estava estudando o regimento interno há três meses. E ao ser questionado sobre o parecer afirmou precisar de mais tempo para entregar.

A demora para escolha das comissões traz um prejuízo enorme para o município, já que os projetos de desenvolvimento da cidade só podem ser aprovados pelas comissões. Com isso obras importantes que precisam ser aprovadas são prejudicadas. Os vereadores que discordam da presidência são: Bruno do Depósito, Rogério Morcego, Nando Paixão, Professor Ivan e Waguinho do Emiliano.

 

Faça o seu comentário