Em depoimento ao juiz Marcelo Bretas, nesta segunda-feira, 01/07, o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (MDB) disse que o empresário Arthur Soares (conhecido como “Rei Arthur”) pagou R$ 6 milhões, via caixa 2, para a campanha de Eduardo Paes (atualmente do DEM, na época no MDB) à prefeitura do Rio, em 2008.

Em nota, a assessoria de Eduardo Paes afirmou que todas as doações para campanhas do ex-prefeito “sempre foram realizadas de forma voluntária e espontânea. As doações foram declaradas e devidamente aprovadas pela Justiça Eleitoral. Aliás, o próprio Sr. Sérgio Cabral já admitiu perante o Juiz Marcelo Bretas que Eduardo Paes não fazia parte da sua organização”.

O ex-governador falou, ainda, sobre Lindbergh Farias (PT). Segundo ele, o petista igualmente recebeu Caixa 2.

Em 2010, como a campanha foi muito grande, Arthur deu R$ 5 milhões à minha campanha, mas deu mais 5 milhões à campanha do Lindbergh Farias ao Senado, a meu pedido, já que o apoiava”, disse Cabral.

No mesmo depoimento, Cabral também citou governadores anteriores a ele, como Garotinho e Marcelo Alencar.

Conheci o Arthur Soares na época em que eu era presidente da Alerj, entre os anos de 1995 e 1998. Ele já se articulava com alguns parlamentares àquela altura. Estive com ele duas ou três vezes, no período em que Marcelo Alencar [PSDB] era o governador. No governo de Anthony Garotinho (PRP), a partir de 1998, ele passou a ter uma participação mais decisiva”, afirmou o ex-governador.

As assessorias de Lindbergh Farias e de Anthony Garotinho ainda não se pronunciaram sobre as declarações de Cabral. A reportagem tentou contato, mas não conseguiu.

Veja a entrevista com Eduardo Paes ao programa Mesa Viva, aqui no Diário do Rio

Fonte: Diário do Rio