Fenômeno foi visto na madrugada desta sexta, alunos da UFRRJ de Seropédica viram um enorme clarão no céus por volta das 2:05. Organização diz se tratar de um meteoro com brilho ‘maior que a lua cheia’

‘Um clarão azul”, “uma bola em chamas’, “uma explosão”‘ foram algumas das explicações para o fenômeno que durou poucos segundos e foi registrado na madrugada desta sexta-feira no céu do Rio, intrigando muitos cariocas que o presenciaram. Segundo Marcelo De Cicco, pesquisador do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e astrônomo que coordena o Exoss Citizen Science, a forte luz que cortou o estado era um meteoro.

o astrônomo Marcelo de Cicco, coordenador do projeto Exoss, uma organização sem fins lucrativos que estuda meteoros, informou que o meteoro passou em alta velocidade pela atmosfera terrestre sobre o Rio, caindo no oceano a cerca de 200 quilômetros da costa.” Estamos avaliando ainda e não tenho dados conclusivos, mas acredito que pode ter sido um meteoro de cerca de um quilo, não era pequeno”, disse.

Ele explicou que o projeto já recebeu cerca de 30 relatos de pessoas que viram o fenômeno em diversas partes do Rio ( Seropédica, Botafogo, Barra da Tijuca, Jacarepaguá)  e ainda regiões do Sul do estado. Segundo o astrônomo, a luz provocada pelo objeto também foi vista em alguns locais de Minas Gerais, São Paulo e Santa Catarina.

A Exoss Citizen Science faz o monitoramento de bólidos (meteoros) nos céus do Brasil. De Cicco disse que mexia nas câmeras em sua base em Petrópolis, na Região Serrana, quando começou o fenômeno. “Foi por volta das 2h da manhã e eu estava fazendo ajustes na câmera quando o céu começou a iluminar e na hora percebi que era um bólido” contou. Pelo menos duas câmeras da organização em São Paulo e uma no Norte Fluminense do Rio registraram o meteoro. De acordo com a organização, às 01h59 o grande meteoro cruzou o oceano em direção ao estado do Rio de Janeiro e seu clarão no céu foi percebido em diversos estados da região sudeste do país.

O astrônomo pediu que as pessoas que gravaram ou fotografaram o que está sendo chamado de “superbólido”, por conta de sua possível grande magnitude, que acessem www.press.exoss.org e façam o relato. “Pedimos que as pessoas enviem as imagens para analisarmos a trajetória e sabermos de onde veio. Nossa rede é participativa, será de um valor enorme”, disse.

Um corpo técnico da organização irá analisar o fenômeno nos próximos dias, mas os dados preliminares indicam um brilho intenso, bem maior que a lua cheia e uma trajetória superior a 150km sobre os céus do litoral sudeste do país. O meteoro durou cerca de 5 segundos até se desintegrar sobre a atmosfera terrestre.

Clarão registrado no Rio de Janeiro
Clarão registrado no Rio de Janeiro