Em nova denúncia realizada pelo Coordenador Logístico do Pantanal Iguaçuano, Edson Monteiro, material químico é jogado dentro de área de preservação ambiental, próximo aos Rios dos Poços e Rio Iguaçu que desembocam no Rio Guandu.

Segundo Edson Monteiro moradores daquela localidade usam agua de Poço Artesiano, e a água está com gosto de querosene, demonstrando que o Lençol Freático foi contaminado. A falta de fiscalização dos órgãos de Meio Ambiente é assustador. O que adianta a CEDAE tratar a água para os cariocas beberem, se casos como esse continuam acontecendo nas barbas de órgãos governamentais.

O tratamento que a CEDAE faz na água do Rio Guandu é uma das melhores do mundo, mas segundo os técnicos, quanto mais sujo o rio, mais caro é para purificar a água. Depois de tratada, a água do Rio Guandu é utilizada para abastecer cerca de 9 milhões de pessoas da Região Metropolitana do RJ.

No que diz respeito à bacia hidrográfica do rio Guandu, a sua gestão foi iniciada em 2002. Esta bacia é considerada como uma das mais importantes do Brasil, pois dela dependem mais de oito milhões e meio de habitantes da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, além de materializar uma intensa atividade econômica e industrial.

Pescadores pedem que os órgãos de Fiscalização Ambiental façam seu dever, e punam as empresas que estão poluindo os afluentes que desaguam no Rio Guandu. “Se houvesse fiscalização isso não aconteceria, as fiscalizações só acontecem quando os jornais publicam os crimes ambientais. Acreditamos que este material químico seja retirado o mais rápido possível, para evitar que o lençol freático não continue sendo contaminado”. Disse Edson Monteiro.