A chegada da primavera é grandemente festejada por toda a Natureza, claramente conseguimos enxergar pelo despertar de diversas plantas ao florescimento e também pelo início do período reprodutivo de diversas espécies animais.

Mas que ligação isso tudo teria com tantas mortes ocorrendo nas estradas?

Este período de fartura de alimentos somada ao período reprodutivo desperta um verdadeiro frenesi e como as estradas separam as matas em pequenos fragmentos, estes animais tentem a atravessar de um lado pro outro por busca de alimento e parceiros reprodutivos.

Essas terríveis mortes que infelizmente são cada vez mais frequentes possuem ligação direta com a perda de habitats, portanto motoristas, respeitem as placas de trânsito, preste a atenção máxima nas estradas não só por conta dos demais automóveis e pessoas, mas também pelo cuidado para com a nossa valiosa fauna silvestre.

Foto tirada em 14/10 na estrada Reta do Piranema (RJ 99) km 42

foto, gambá de orelhas pretas, “Didelphis aurita”

Os gambás, assim como todas as espécies nativas, são importantes reguladores do ecossistema de uma região. Atuam como controladores de pragas e zoonoses – doenças que podem ser transmitidas aos seres humanos por meio de animais.

Dentro da alimentação dos gambás, estão carrapatos, por exemplo, que são vetores de transmissão do tifo – grupo de doenças infectocontagiosas.

ORIENTAÇÃO – Ao encontrar filhotes nessa fase de vida em ambiente natural, é recomendado não tocar nos animais. Não é preciso realizar a captura e o resguardo dos animais, pois eles já são independentes.

Apenas filhotes com menos de 18 centímetros, sob risco de vida e órfãos, devem ser encaminhados ao Escritório Regional do Instituto Água e Terra.

Arthur é Ambientalista, graduando em Biologia pela UERJ, Educador Ambiental, Resgatista de fauna, Consultor de manejo de pets não convencionais e fundador da página educacional @bioarthurmarinho no instagram.