Adubo caseiro: aprenda a fazer um fertilizante de origem 100% vegetal O material fica pronto em 60, 90 ou 120 dias, a depender do tipo de aplicação escolhido pelo agricultor

O mercado oferece ao agricultor diversas opções de fertilizantes. Mas, para quem quer economizar e optar por uma solução mais sustentável, existem métodos para produzir adubo caseiro e orgânico na propriedade. De acordo com a Embrapa Agrobiologia, com sede em Seropédica (RJ), um adubo caseiro pode ter tanta  qualidade quanto os que são comercializados.  

Segundo o pesquisador Marco Antônio Leal, da Embrapa Agrobiologia, é possível produzir um adubo caseiro com origem 100% vegetal em grande ou em pequena escala. Sem grandes investimentos, o adubo caseiro fica pronto em 60, 90 ou 120 dias, dependendo da aplicação desejada. “Esses produtos são isentos de contaminação biológica, não utilizam adubos minerais e o seu custo pode ser muito inferior”, diz Leal.

Adubos e substratos orgânicos Com o objetivo de incentivar os agricultores a produzirem adubo caseiro e orgânico, a empresa de pesquisa produziu um vídeo com todas as orientações necessárias para a produção, junto com a UFRRJ e a Pesagro-Rio. De acordo com as instruções da Embrapa Agroecologia, não é necessário usar inoculantes ou outros aditivos.

  5 passos para fazer adubo caseiro orgânico  

1 – A escolha do material O ideal é combinar uma matéria-prima pobre em nitrogênio com outra fonte que seja rica nesse nutriente. No vídeo da Embrapa foram combinados capim-elefante e torta de manona, mas podem ser usadas outras opções. Material pobre em nitrogênio: serragem, aparas de grama ou bagaço de cana. Material rico em nitrogênio: palhada de leguminosas.  

2 – O volume ideal A quantidade de matéria-prima utilizada no processo vai depender da disponibilidade de materiais. A orientação é para que para cada caixa de 100 litros de capim-elefante seja usado um balde de um litro de torta de mamona.  

3 – A pilha de composto A montagem da pilha de composto deve ser feita em um local aberto. É recomendável que não haja contrato com solo, por isso a pilha precisa ser montada sobre uma lona de plástico ou outro revestimento. Para uma compostagem eficiente, a mistura dos matéria deve ser bem homogênea. A pilha deve ser montada em camadas. As mesmas precisam ser bem regadas durante a montagem e também durante o processo de compostagem.  

4 – A finalização da pilha Ao fim da montagem, a pilha de composto deve ter de um a dois metros de largura e, aproximadamente, um metro de altura. Segundo a Embrapa Agroecologia, o comprimento pode variar e não afeta a eficiência do processo. Ao menos uma vez a cada 30 dias, o material que será transformado em adubo deve ser misturado.  

5 – O tempo de produção A duração do processo vai variar de 60 a 120 dias e será definida de acordo com o uso planejado para o adubo orgânico. Confira as recomendações: 60 dias: o adubo pode ser incorporado ao solo ou mantido em cobertura na área de plantio. 90 dias: o material pode ser usado para a adubação de covas. 120 dias:  o adubo pode ser usado como base para a produção de substratos.

Faça o seu comentário