Setembro ganha uma cor especial em valorização à vida. O amarelo ilumina o mês e alerta sobre a importância da saúde mental e faz que a Equoterapia da UFRRJ se mobilize nesta ação.

Assim, pessoas, coletivos, entidades, órgãos de saúde e a sociedade em geral têm a chance de participar das ações sobre o suicídio. O evento vai ser no Picadeiro da ADUR atrás do P1 da UFRRJ em Seropédica, no próximo dia 26 com início às 8:30 horas.

Celebrar a vida e tudo que ela tem. Falar como se vive a vida, falar do que se sente e como se sente. Contudo não só nos setembros amarelos, mas em todos os momentos. É preciso falar do que aflige.

Afinal é sabido: há momentos na vida de qualquer um que se pode perder a vontade e a coragem de seguir em frente. Quando isto acontece nada melhor que falar.

Falar com quem se confia, falar da sua dor. Aliás, falar de suicídio salva vidas.

Acreditamos que falar é o melhor remédio.

Certamente quando alguém fala de sua dor intensa, muitas vezes digo: Veja, não consigo sentir a sua dor, ela é só sua. O que posso fazer: sou solidária com a sua dor, estou ao seu lado. Fale o que te aflige.

Fazer a pessoa com dor falar abre a possibilidade de descobrir juntos quais são os instrumentos disponíveis, os recursos que possam ser utilizados para aliviar e até eliminar a dor.

Creio ninguém quer morrer. Só não quer sentir a dor. É necessário a pessoa acreditar que o que sente – a dor insuportável – é um momento – vai passar. Tanto a dor psíquica, quanto a dor física.

Logo, tudo passa. Ter atitude para buscar por soluções e aplicar é que faz a diferença.

Faça o seu comentário