Hoje foi um dia de voltar 30 anos no passado, lembrar o encontro com meus jovens colegas da turma 11 do CTUR de 1988, onde conheci os cabeludos Marco Souza Bauhaus, Rafael Pimentel, Giovana Feijó, e vários outros que se encontrarão nessa história.

Eles, muito mais novos, muitos sonhos e caminhos a percorrer. Eu já estava retomando caminhos, alterando rotas, encarando o desafio de seguir atrás de meus sonhos.
Lá conheci muitos professores que ainda hoje respeito e gosto muito. Hoje estive com alguns: Luiz Carlos Estrella Sarmento, Tite, Marília, e outros.

Hoje foi a comemoração dos 75 anos do Ctur UFRRJ, um colégio que escolhi estudar por causa de um sonho. Mas a vida me fez fazer uma outra escolha, seguir para a graduação ou permanecer aprendendo e refazendo o segundo grau.

Lá deixei sinceras amizades, uma doce lembrança de um momento de transição do próprio Memória Viva Ctur, que deixava seu prédio histórico na ladeira da meteorologia (atual alojamento da pós da EMBRAPA), e assumindo uma gleba na beira da estrada. Um de seus prédios novos, hoje trintão, tive aulas de química com a Tite e várias outras matérias. Meu sentimento naquele ano era que essa mudança fazia a perda de uma mística com aquela ladeira, que talvez o colégio perderia sua aura.

Mas seu corpo docente foi guerreiro, suas direções souberam fazê-lo crescer e se expandir. Hoje já nem reconheci mais aqueles tempos nesse novo endereço de tanto que cresceu e mudou.

O colégio que tem hoje novamente na sua direção um querido professor meu, com quem conversei muito ao longo desses 30 anos, já como colegas de universidade, o Estrella, que certamente cumpriu muito do que se dispôs a fazer. Esse agora com 75 anos mantém uma força de instituição bem viva e atuante. Que suas novas gerações continuem honrando as pregressas. Quem sabe eu ainda esteja por aqui no seu centenário.

(Palavras de um ex aluno e hoje professor da UFRRJ, professor Tarci)

Fim de semana de muitas emoções, quando comemoramos os 75 anos do CTUR – Colégio Técnico dá UFRRJ.

Colégio onde passei parte de minha adolescência e que, com CERTEZA, aprendi a ser uma pessoa melhor…

Quem por lá passa, não esquece, principalmente, os ensinamentos de vida… as amizades, os mestres, os inspetores… tudo fica além dos anos!!!

Me senti muito honrada em estar presente nesta comemoração tão emocionante!!!

CTUR, nunca te esquecerei! ❤
(Palavras de uma ex aluna e hoje médica veterinária da UFF.)