Foi realizado nesta última quarta-feira (6), Terapia Assistida com animais de pequeno porte com as crianças que fazem tratamento no CAPSI da Secretaria Municipal de Saúde de Seropédica e contou com a presença da subsecretária de Saúde Sirlei Tagiba. 

A Coordenação Municipal de Saúde Mental de Seropédica (Dr. Sergio Alarcon e Fabiola Espolador Ramalho) demonstram extrema satisfação na parceria realizada entre o CAPSI João e Maria (Coordenado pela Psicóloga Ângela Maria Moura) e o projeto de extensão SOS Animal da UFRRJ, para as atividades de terapia assistida com animais de pequeno porte, denominado “Projeto T.A.A.(Projeto de Terapia Assistida por Animais) SOS animal”.

O Projeto T.A.A. é coordenado pela Dra. Rosana Colatino (Médica Veterinária, Zootécnicista e professora na UFRRJ) e pela médica veterinária Juliana Strapasson, sendo criado em 2017.

O projeto T.A.A. conta com acadêmicos de diferentes cursos da UFRRJ, e teve uma grande contribuição da acadêmica Caroline Melo da Silva, que se encontra no sexto período do curso de Medicina Veterinária e tem cerca de um ano no projeto SOS Animal, a aluna relata que a parceria com o Projeto T.A.A. começou devido a uma experiência familiar sua com um portador de transtorno mental, acontecimento que despertou seu desejo por realizar um trabalho integrado de seu curso acadêmico na Medicina Veterinária da UFRRJ com a Saúde Mental de Seropédica.

Foi graças a esse desejo que Caroline elaborou as atividades do Projeto T.A.A. e as levou ao conhecimento e avaliação de sua orientadora, professora Rosana Colatino e, posteriormente, aos coordenadores da Saúde Mental de Seropédica e à coordenação do CAPSI João e Maria. O projeto foi prontamente aprovado tanto pela Saúde Mental quanto pelo S.O.S. Animal, e teve, ao tempo de sua realização, ampla aceitação e adesão das crianças, adolescentes e familiares envolvidos.

Os trabalhos tiveram o importante suporte da equipe interdisciplinar do CAPSI (Assistente Social Alessandra; Técnico de Enfermagem Eric; Nutricionista Weslaine e Psicólogas Cássia e Sueli), que acrescentaram abordagens técnicas para o fortalecimento das habilidades de memória, cognição, afeto, entre muitos outros aspectos, realizados com as crianças e adolescentes acompanhadas pelo CAPSI.
Os encontros foram de suma relevância para o viés terapêutico contextualizado nas atividades psicossociais e revelou-se como um acontecimento de expressividade singular à Saúde Mental do município no ano de 2017.

“Esperamos que em 2018 as atividades permaneçam em crescimento e que possamos aprofundar e envolver mais usuários nesta proposta transformadora e humanizada”. Destaca Fabiola Espolador Ramalho .

 

 

Edição de matérias sobre Seropédica e atualidades.

Faça o seu comentário