Prefeitura de Seropédica em parceria com a UFRRJ realiza o I Festival Cultural Surdo

0
148

No dia 26 de setembro comemora-se o Dia Nacional do Surdo. A equipe da Escola Municipal Panaro Figueira promoveu atividades para os alunos e familiares, celebrando essa data e a semana da inclusão. Porque a diferença é o que nos une

Prefeitura de Seropédica, através da Secretaria de Educação em parceria com a UFRRJ realizaram no dia 27 de setembro de 2022, o I Festival Cultural Surdo.

A Coordenação de Educação Bilíngue para Surdos da Rede Municipal de Educação de Seropédica em parceria com o Projeto Cultura Visual – Imersão na Libras, da UFRRJ promoveram o I Festival Cultural Surdo de Seropédica na Câmara de Vereadores, um evento inédito em nosso município. O objetivo do encontro foi celebrar o Dia Nacional do Surdo, comemorada em 26 de setembro e discutir sobre a Educação Bilíngue como direito linguístico dos educandos surdos.

A mesa de abertura foi composta por autoridades: Secretário Municipal de Educação, Marciel Falcão; Subsecretária de Ensino, Eliana Cristina; Diretora de Ensino, Josely Cristiane; a primeira-dama do município, Isabel Ribeiro e a professora Ana Ziner, representando a UFRRJ. Após a execução do Hino Nacional, interpretado em Libras pela professora Mariana Santos e o Hino do Município, traduzido pela aluna Vitória Eduarda, cada representante da mesa teve oportunidade de proferir discurso. Vídeos dos alunos e depoimentos de pais sobre o Atendimento Educacional Especializado em Libras (AEEL) foram exibidos, seguido por um delicioso momento de partilha e interação durante o coffee break.

As palestras foram compartilhadas pelos professoraes. Mariana Santos, falou do trabalho desenvolvido no município de Seropédica, Ana Ziner apresentou o Projeto Cultura Visual – Imersão na Libras e discorreu sobre a Educação Bilíngue para Surdos. Bruno Abrahão contou sua trajetória acadêmica e abrilhantou com a poesia “De A a Z”, em Libras. A professora Jéssica Cosso também trouxe reflexões sobre a realidade dos surdos, mostrando um vídeo que aborda a dificuldade enfrentada por eles no cotidiano e como seria diferente se a Libras fosse utilizada por toda a sociedade.

No final, abriu-se um espaço para algumas pessoas presentes contar suas experiências. Jô Tavares foi convidada para falar como representante das pessoas com deficiência e o seu lugar de fala. Ana Paula, mãe do Mateus Felix, falou emocionada sobre sua experiência, quando seu filho era criança e as dificuldades enfrentadas no período escolar, a falta de acessibilidade e a necessidade de buscar em outro município o que não era ofertado em Seropédica. A coordenadora Verônica Mendonça encerrou esse momento, compartilhando também seus dilemas como mãe e a falta de um olhar voltado para esse público. Para encerrar, todos os surdos foram convidados a estar à frente, sendo parabenizados e aplaudidos por todos os presentes.

Gratidão a todos os envolvidos: à Câmara Municipal de Vereadores de Seropédica por ceder o auditório, à Secretaria Municipal de Educação pela iniciativa, aos coordenadores que nos ajudaram, à Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – Projeto Cultura Visual – Imersão na Libras, pela parceria e ao Sócrates Weslley pelo apoio na interpretação.

Coordenação de Educação Bilíngue para Surdos. Cátia Soares, Keles Soares, Mariana Santos e Verônica Mendonça.