A produção consolidada da Marcopolo foi de 3.422 unidades no trimestre, sendo 3.064 unidades no Brasil (Imagem: Marcopolo/Divulgação)
A produção consolidada da Marcopolo foi de 3.422 unidades no trimestre, sendo 3.064 unidades no Brasil (Imagem: Marcopolo/Divulgação)

Marcopolo (POMO3) reportou um prejuízo líquido de R$ 57 milhões no terceiro trimestre de 2020, mostra documento enviado ao mercado nesta terça-feira (3), revertendo o lucro de R$ 22,8 milhões do ano passado.

Já o lucro bruto caiu 6,3%, para R$ 136 milhões.

A receita seguiu a tendência e caiu 22,6%, fechando trimestre em R$ 836 milhões. Segundo a empresa, o resultado ainda é reflexo da crise econômica provocada pelo coronavírus.

 

O Ebitda, que mede o resultado operacional, ficou no vermelho, registrando um prejuízo de R$ 23,8 milhões.

A participação de mercado da companhia na produção brasileira de carrocerias aumentou de 48,8% para 55,7%.

“A demanda por ônibus rodoviários segue impactada pela queda no turismo, mas ensaia pequenos movimentos de recuperação, indicando que o pior já passou. Por outro lado, as atividades de fretamento vêm surpreendendo positivamente, com incremento de vendas frente a 2019, em função das exigências de maior distanciamento no transporte de funcionários”, afirma José Antonio Valiati, diretor financeiro e de Relações com Investidores da Marcopolo.

Câmbio favorece exportações

As exportações da Marcopolo seguem apresentando melhor desempenho na comparação com o mercado interno, por conta da desvalorização do real.

A redução do volume de exportações, como reflexo da pandemia, é compensada pela maior receita e rentabilidade das operações, devido ao atual patamar do câmbio.

“Gradativamente, as operações de transporte coletivo na América do Sul voltam a circular, com reflexos positivos nas vendas ao Chile, Argentina e Peru. As entregas ao mercado africano permanecem sendo importantes também no 4T20 e 1T21”, observa o diretor da companhia.

 

Release 3t20 by Renan Dantas Santos

 

Fonte: Money Times