A crise afetou investimentos de US$ 74,5 bilhões, que foram cancelados, a maioria dos projetos é nos setores de energia e saneamento

1

O Brasil atravesse um momento de recessão e crescente instabilidade política. Nesse cenário de “crise”, já foram suspensos ou cancelados projetos de investimentos que somam US$ 84,6 bilhões (cerca de R$ 318 bilhões), desde abril do ano passado a março deste ano.

De acordo com a reportagem da Folha de S. Paulo, foram deixados de lado 52 projetos de variados setores da economia, de construção de fábricas e shopping centers a usinas geradoras de energia. As informações são da companhia de seguros JLT, sediada em Londres, que acompanha construções nos países em que atua.

A crise afetou investimentos de US$ 74,5 bilhões, que foram cancelados. A maioria dos projetos é nos setores de energia e saneamento (US$ 40 bilhões) e industrial (US$ 31,7 bilhões).

A Folha destaca um exemplo, a da fabricante de móveis Todeschini. A empresa desistiu de construir uma fábrica de chapas de madeira em Cachoeira do Sul (RS). Outro exemplo é da montadora chinesa JAC Motors, que pretendia construir uma unidade em Camaçari (BA).

Calotes

Enzo Ferracini, diretor de infraestrutura da JLT Brasil, esclarece que os projetos são afetados, principalmente, pela insegurança dos investidores com a economia e o futuro do país.

Outro fator que pesa é o problema fiscal de municípios, Estados e governo federal.

“Ficou mais arriscado para o investidor entrar, por exemplo, numa PPP (parceria público-privada). O setor público pode ficar sem recursos com essa crise e o projeto atrasar, afetando seu retorno”, explica Ferracini.

A reportagem destaca ainda que a crise política tem atingido níveis cada vez mais altos e a expectativa é que a paralisia dos investimentos fique ainda maior.

Crise econômica e política

“Nunca tivemos uma situação com esse nível de incerteza. O país pode parar. E isso afeta decisões de investimento. Estamos todos aguardando. A rigor, ninguém sabe como tudo vai acabar”, avalia Cláudio Frischtak, sócio da Inter.b Consultoria.

O levantamento aponta que as obras em execução no país somam US$ 157 bilhões. Nos 12 últimos meses, US$ 90 bilhões em projetos de investimentos tiveram as obras concluídas.

Mauro Ribeiro Viegas Filho, presidente da Associação Brasileira de Consultores de Engenharia, destaca que é preciso destravar os investimentos para retomar o crescimento e ampliar o potencial da economia.

No ano passado, os investimentos caíram 14,1% e foram os principais responsáveis pela queda de 3,8% do PIB (Produto Interno Bruto), a medida da renda de bens e serviços produzidos no país.